A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

04/08/2015 10:17

Tumulto, brigas, prisões e gritos de vergonha marcam sessão da Câmara

Edivaldo Bitencourt e Antonio Marques
Manifestantes contra e favor de Bernal entram em confronto (Foto: Fernando Antunes)Manifestantes contra e favor de Bernal entram em confronto (Foto: Fernando Antunes)

Sob protestos de professores e populares, os vereadores de Campo Grande fizeram uma sessão relâmpago, com aproximadamente 30 minutos, e a maioria deixou o plenário sob o grito de “vergonha”. O presidente da Casa, Mario Cesar Oliveira (PMDB), rebateu a denúncia de que o empresário João Alberto Krampe Amorim, dono da Proteco, comandou o processo de cassação de Alcides Bernal (PP).

O clima no legislativo começou tenso, principalmente, após a Polícia Federal divulgar gravações em que aponta suposta compra de votos dos vereadores para cassar o mandato de Bernal no dia 12 de março do ano passado.
Para cobrar o cumprimento da lei, que prevê o pagamento do piso, os professores distribuíram café em pó e em copinhos durante a sessão. Populares também foram protestar, o que obrigou a Câmara a reforçar a segurança com a Guarda Municipal.

Sob protestos, o presidente da Câmara abriu os trabalhos. A sessão, que geralmente demora até quatro horas, não demorou mais de 30 minutos. Só um projeto foi votado na sessão de hoje.

Após Câmara encerrar sessão, manifestantes gritam vergonha (Foto: Fernando Antunes)Após Câmara encerrar sessão, manifestantes gritam "vergonha" (Foto: Fernando Antunes)
Aliados de Bernal levaram faixas para defender o ex-prefeito (Foto: Fernando Antunes)Aliados de Bernal levaram faixas para defender o ex-prefeito (Foto: Fernando Antunes)
Mario Cesar negou que houve compra de votos para cassar Bernal (Foto: Fernando Antunes)Mario Cesar negou que houve compra de votos para cassar Bernal (Foto: Fernando Antunes)

Mario Cesar encerrou a sessão e os manifestantes começaram a gritar: “vergonha, vergonha, vergonha!!!” Só os vereadores da oposição – Thais Helena (PT), José Chadid, Luiza Ribeiro (PPS); Cazuza (PP), Paulo Pedra (PDT) – e Chiquinho Telles (PSD), da situação, permaneceram no plenário.

O presidente da Casa rebateu a denúncia de que houve compra de votos para cassar Bernal. Em conversas gravadas pela Polícia Federal, João Amorim detalha todo o processo de cassação.

Mario Cesar contou que as gravações divulgadas foram fora de contexto e não houve compra de votos.

Cerca de 400 pessoas estavam no plenário e até trocaram empurrões e brigaram. Aliados de Bernal e defensores do prefeito Gilmar Olarte (PP) entraram em confronto e a Guarda Municipal, que mobilizou 60 agentes, interferiu e prendeu um professor. Ele foi levado para Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do Centro.

Guardas municipais escoltam viatura que leva professores para Depac (Foto; Fernando Antunes)Guardas municipais escoltam viatura que leva professores para Depac (Foto; Fernando Antunes)



Virou circo ! kkkk...kákákáká...os que perderam a boquinha esperneiam, os que estão na boquinha não querem largar o osso...,kékéké...esse é o Gran-Circo Brasil !
 
Barbarossa em 04/08/2015 15:29:34
Vergonha prendendo Professores!!! por que não prendem os Ladrões já q tem provas de gravações e tudo de todos os envolvido em desvio de Verbas!!! Ai não se trata nem como Roubo é desvio... VERGONHA
 
Clebe PL em 04/08/2015 12:10:29
Tirando o povo que mamava na prefeitura, quem mais quer que o Bernal volte?!
Irregularidades devem ser apuradas, e imagino que poucos se safam na questão moral na Câmara...agora, isso não significa o retorno de quem deliberadamente cometeu diversas atrocidades na prefeitura.....ser um eleitor desinformado é uma coisa...ser burro é outra!
Vai ver são petistas, povo da cut, mst, pedindo o retorno do Bernal , afinal, eita povinho pra querer roubar desse país!
 
DS em 04/08/2015 11:46:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions