A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

05/11/2009 09:25

Vereador douradense acusa chefe da Funai de omissão

Redação

O vereador Dirceu Longhi (PT) disse nesta quinta-feira que a administradora da Funai, Margarida Nicoletti, passou o dia ontem "brincando de fazer reunião" sobre a segurança na reserva de Dourados enquanto dois professores índios estão desaparecidos em Paranhos, área sob responsabilidade da administração regional da fundação.

Durante a sessão da Câmara de Dourados, transferida de segunda-feira para hoje, Longhi acusou Margarida Nicoletti de fechar as portas da Funai por medo dos índios e disse que "já passou o tempo" de a chefe da Funai ser substituída. Segundo ele, ela deveria estar em Paranhos, acompanhando as investigações sobre o desaparecimento dos professores índios Genivaldo Vera e Rolindo Vera.

A mulher de Dirceu Longhi, a bióloga Arlete Pereira de Souza, aguarda desde o início do ano a nomeação para o cargo ocupado por Margarida. Ela foi indicada pelas lideranças indígenas para assumir a administração regional, mas até agora a presidência da Funai não assinou a nomeação.

Ontem, durante reunião com os índios que mantiveram Margarida Nicoletti refém na aldeia Bororó, o procurador da República Marco Antonio Delfino de Almeida disse que existe um impedimento legal para a nomeação de Arlete de Souza.

Dirceu Longhi afirmou que vai denunciar a situação dos índios e o descaso da Funai à Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal e ao Conselho Nacional de Direitos Humanos. Segundo o petista, é preciso investigar a omissão da fundação as denúncias contra os seguranças de fazendeiros, apontados como autores de vários ataques aos índios na região sul do Estado.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions