ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, TERÇA  01    CAMPO GRANDE 28º

Política

Vereadora disse que cumpriu dever de cidadã ao depor no MPE sobre Lama Asfáltica

Por Antonio Marques | 19/10/2015 15:30
Luiza Ribeiro postou no Facebook que seu depoimento no MPE
Luiza Ribeiro postou no Facebook que seu depoimento no MPE

Depois da polêmica sobre o depoimento da vereadora Luiza Ribeiro (PPS) ao MPE (Ministério Público Estadual), que investiga ilegalidades em contratos dos serviços de tapa buraco, cascalhamento e de limpeza urbana da Prefeitura de Campo Grande, a vereadora disse que cumpriu seu dever de cidadã ao depor atendendo convocação do promotores que atuam na força tarefa da operação Lama Asfáltica.

Nesse domingo, a vereadora divulgou em sua página no Facebook sua justificativa, considerando que no depoimento Luiza disse que sistema de corrupção alvo das operações desde julho é antigo. “A investigação no MPE foi originada pelo compartilhamento de provas colhidas pela Polícia Federal, especialmente escutas telefônicas, obtidas na Operação Lama Asfáltica”, explicou ela.

“No dever de cidadã e no exercício do mandato de vereadora, não deixaria de prestar as informações que tenho acesso, sob pena de não dignificar o mandato parlamentar que recebi”, justificou Luiza.

A vereadora também revelou que comunicou mesmo aquelas situações que não possui prova direta, mas que chegam a ela “diariamente por servidores públicos, empresários entre outras pessoas que comunicam fatos graves suspeitas de desvios de recursos públicos, lavagem de dinheiro e demais condutas ilegais que ferem a democracia e destroem os princípios da autonomia dos poderes”, justificou.

Luiza finaliza o texto dizendo que sua “militância não se prestará a evitar que a justiça cumpra seu papel de investigar e, comprovado, punir aquele que comete crime contra a administração pública.” Conforme a vereadora, ela foi chamada no fim do mês passado a depor na força-tarefa do MPE, que apura denúncias da operação Lama Asfáltica, realizada em 9 de julho pela PF (Polícia Federal).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário