A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

03/04/2014 12:54

Vereadores aprovam projeto que regulamenta atendimento em cartórios

Kleber Clajus
Coringa conseguiu aprovação a projeto que limita tempo de espera em cartórios de 15 minutos em dias úteis (Foto: Izaias Medeiros / CMCG)Coringa conseguiu aprovação a projeto que limita tempo de espera em cartórios de 15 minutos em dias úteis (Foto: Izaias Medeiros / CMCG)

Os vereadores de Campo Grande aprovaram por 23 a 1, nesta quinta-feira (3), proposta que regulamenta o tempo para atendimento em cartórios. O projeto, de autoria do vereador Ademir Vieira, o Coringa (PSD), estabelece prazo de 15 minutos para realização do serviço em dias úteis.

“Conversei com empresários que realizam transações nos cartórios que reclamavam do tempo de espera para atendimento. O prefeito já está disposto a sancionar o projeto”, comentou Coringa.

Paulo Pedra (PDT), que já foi presidente da Anoreg (Associação dos Notários e Registradores de Mato Grosso do Sul), ressaltou que é razoável a proposta e os cartórios vão precisar se adequar.

O projeto prevê atendimento em 15 minutos durante dias normais e 20 minutos na véspera ou após feriados. Para comprovar o atraso, no entanto, será necessária a indicação de três testemunhas ou senha entregue pelo cartório com horário previsto para atendimento.

O prazo só estaria suspenso em caso de falta de energia elétrica, serviço de telefonia ou dados. Já as multas por descumprimento variam entre advertência, multas de R$ 300 a R$ 500 e suspensão do alvará de funcionamento.
Se a lei for aprovada hoje e sancionada pelo prefeito os estabelecimentos terão 45 dias para se adaptar a nova regra.

Outros projetos – Ainda hoje os vereadores aprovaram, em regime de urgência, projeto do vereador Airton Saraiva (DEM) que nomeia como Rua Moju o trecho entre a Rua Casa Branca e a Avenida Nosso Senhor do Bonfim.

Em contrapartida, a Comissão Permanente de Eficácia Legislativa pediu vista ao projeto que isenta do pagamento de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) pessoas de baixa renda acometidas de câncer.

“Precisamos analisar melhor a proposta, pois ela trata de renúncia fiscal”, justificou Elizeu Dionizio (SD).

A proposta, de autoria do vereador Coringa, ressaltava que a própria compra dos remédios assegura a arrecadação do município.

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions