A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

21/10/2013 12:43

Vereadores debatem hoje preços, reforma e serviços do Aeroporto da Capital

Leonardo Rocha
Edil destaca que reforma no local prevê uma série de ações que vão melhorar Aeroporto de Campo Grande (Foto: Arquivo)Edil destaca que reforma no local prevê uma série de ações que vão melhorar Aeroporto de Campo Grande (Foto: Arquivo)

Os vereadores de Campo Grande irão debater hoje às 14h, em audiência pública marcada na Câmara Municipal, a situação e o prazo para reforma na estrutura do Aeroporto de Campo Grande, além dos preços cobrados pelas companhias aéreas e a organização do funcionamento dos estacionamentos.

A Comissão Permanente de Indústria, Comércio, Agropecuária e Turismo resolveu marcar esta reunião após ouvir uma série de reclamações sobre estas questões, inclusive outras sugestões sobre o funcionamento do local.

Foram convidados representantes do setor, autoridades competentes e membros da sociedade civil organizada que freqüentam constantemente o Aeroporto e gostariam que as falhas e possíveis alterações fossem viabilizadas.

Reforma – De acordo com o presidente da comissão, o vereador Edil Albuquerque (PMDB), a Infraero fez um plano de investimento de R$ 13,1 milhões que prevê a ampliação, manutenção e aquisição de novos aparelhos para o local.

Devem ser construídas duas novas pistas, radar, melhorias no sistema de pistas, além de um pátio de estacionamento das aeronaves. Os vereadores também irão cobrar a implantação do Batalhão de Combate e Prevenção de Incêndio do Corpo de Bombeiros.

Obras – Segundo informações do Aeroporto, as obras se iniciaram nos primeiros dias de outubro e devem encerrar sua primeira fase no dia 22 do mesmo mês. Está prevista para ser retomada apenas após as épocas de chuvas e alta temporada.

Arrecadação – A Infraero destacou que em 2012 a arrecadação com o Aeroporto de Campo Grande foi de R$ 21,7 milhões, tendo uma previsão de crescimento de 13,8% para este ano, o que resultaria em uma arrecadação de R$ 24,7 milhões.

Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...


A L E L U I A.!..A L E L U I A...os Vereadores resolveram mostrar serviço, até que enfim UFA!!!!!
 
Teresa Moura em 21/10/2013 14:59:48
Em vez de investigar as empresas aereas (todos operando no vermelho, ou seja: enfrentando mais custos do que ganham com bilhetes) deveriam investigar:
- como é possivel a infraero fazer uma licitação com planilha errado, ter que refazer, prejudicar uma cidade/estado inteiro, e ninguem ser responsabilizado para isso?
- como é que existe monopolio de querosene de aviação? O fato de só uma empresa poder fornecer querosene afeta o preço do mesmo, um dos principais fatores para as perdas das aereas
- como é que não tem uma area decente para embarque/desembarque de passageiros (faixa para parada de 10 minutos de veiculos, onde o motorista não pode descer), como em qualquer outro aeroporto?
- como é determinado o custo da alvara dos taxistas?
- porque ainda falta um radar para pousos "sem teto"?
 
Marcos da Silva em 21/10/2013 14:33:07
Tinham é que debater o porque dos R$ 5,00 do salgado e R$ 13,00 do misto quente.
 
marcelo Ferreira em 21/10/2013 14:22:24
Deveria aproveitar a oportunidade para aumentar também a faixa de embarque e desembarque. Pois aquilo vira um caus quando de muita movimentação.
 
Humberto Torres em 21/10/2013 13:25:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions