A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

18/11/2011 11:19

Vereadores propõem multa de R$ 1 mil para quem beber nas ruas da Capital

Wendell Reis e Aline Santos
Audiência pública na Câmara discute projeto que coíbe bebedeiras em vias públicas. (Foto: João Garrigó)Audiência pública na Câmara discute projeto que coíbe bebedeiras em vias públicas. (Foto: João Garrigó)

O projeto que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas em praças e ruas de Campo Grande prevê multa que varia de R$ 200 a R$ 1000 para as pessoas que fizerem bagunça nas ruas. Além da multa, o projeto ainda prevê a advertência e prestação de serviços a comunidade.

Questionado sobre a responsabilidade de aplicação da multa, fiscalização e investimento do dinheiro, o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, Paulo Siufi (PMDB), que divide a autoria do projeto com o vereador Lídio Lopes (PP), explica que a prefeitura terá 30 dias para a regulamentação, citando o artigo 4 do projeto: “O Poder Executivo vai ter que reorganizar o sistema administrativo para aplicar sanções, definir autoridade competente e garantir direito a ampla defesa”.

O projeto também institui a aplicação de multa que varia de R$ 300 a R$ 1,5 mil para o empresário que permitir o consumo de bebidas nos postos de combustíveis e conveniências da Capital. Além disso, ainda estão previstas advertência, suspensão do funcionamento por 30 dias e até a cassação do alvará.

O representante da Associação Comercial de Campo Grande, Roberto Oshiro, acredita que a lei é muito severa para o comerciante, pois delega a ele uma função que deve ser da polícia. Entretanto, ele revela que já foi feito um acordo com os autores do projeto para eliminar o artigo que permite a cassação do alvará, o que não foi confirmado pelo vereador Lídio Lopes.

A Câmara Municipal realiza uma audiência pública nesta sexta-feira para debater o polêmico projeto que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas em postos de combustíveis, conveniências e ruas e praças de Campo Grande. O projeto proíbe a aglomeração de pessoas consumindo bebidas alcoólicas ou entorpecentes. Neste caso, três pessoas consumindo bebida e fazendo algazarra já será considerada aglomeração e importunação.



Pois é. Quando a mente não pensa em pro de assuntos inteligentes, nascem essas idéias bizarras e fúteis na cabeça de inúteis. Agora manda eles trabalharem em prol da população, e não ficarem inventando um monte de baboseiras.
 
Marcelo Max em 19/11/2011 12:48:00
Estão proibindo o cidadão de bem de tudo ! Não pode beber uma cervejinha socialmente, mas o delinquente que mata um no trânsito está cheio de indultos e regalias e sequer fica preso. A tarifa de ônibus o cidadão é obrigado a utilizar um cartão, e nem celular pode mais usar no banco. E nosso políticos garante a soltura rápida, com sua leis, de todos o marginais. Olha o Natal !!!! Indultos chegando
 
Angelo Fantin em 19/11/2011 12:16:51
Tô nem aí. Não bebo nem em casa muito menos na rua...

Parabéns aos autores da lei... Tomara que vingue e que pelo menos diminuam as arruaças e, consequentemente, os crimes cometidos por ingestão de álcool.
 
Arthur Donavann em 19/11/2011 02:26:32
temos que legislar, dar instrumentos para os orgãos de segurança punir os baderneiros, sem prejudicar quem gera emprego e renda que é os comerciantes,, e nem passar para os empresários competencia que é do estado. que é dar segurança para a populaçao... avante..
 
carlos augusto borges em 19/11/2011 01:18:59
Concordo com o sr Roberto Oshiro, não é função do comerciante, e sim da policia controlar a aglomeração e importunação dessas pessoas.
 
Tatiana Borgo em 18/11/2011 12:42:16
DESNECESSÁRIA! Cerceia o prazer do cidadão em aproveitar os seus momentos da forma que ele quiser. Uma lei desta torna facilmente um cidadão comum em um marginal a lei por uma pequena atitude NORMAL como esta que não trás mal nem a si nem a sociedade
Coibir o excesso, a bagunça é uma coisa, proibir o consumo em local público é um ato disciplinatório que as pessoas não precisam.
NÓS TEMOS DIREITOS!
 
Paulo Augusto em 18/11/2011 12:42:04
PROPRIETARIOS DE COMÉRCIO NÃO PODEM SER TAXADOS MAIS , POR CAUSA DE RESPONSABILIDADES DO PODER PUBLICO, JA PAGAM TAIS ALVARÁS PARA FUNCIONAREM ATE TARDE , AONDE VAI O DINHEIRO DOS ALVARÁS, AINDA TEM QUE TRABALHAR ATRAS DAS GRADES , POR QUE SE TIVER SEM PROTEÇÃO QUEM VEM E O LADRÃO, KD A POLICIA PARA COIBIR OS ABUSOS.
 
ADRIANO PIRES em 18/11/2011 12:31:16

CONCORDO EM PARTES COM ESSA PROPOSTA DOS VEREADORES MAS, EM CAMPO GRANDE JÁ NÃO TEMOS VIDA NOTURNA, SE APROVAREM ESSA LEI ENTÃO, ADEUS!!! VOU ME TRANSFERIR PARA CUIABÁ!!!
 
EDWAR DE OLIVEIRA em 18/11/2011 12:26:28
Espero que esta lei consiga ser aprovada e entrar em vigor e que além de tudo seja fiscalizada e punidos os infratores. Um exemplo clássico de aglomeração e falta de respeito às leis é o cruzamento da R. da Divisão com a Av. Ezequiel Ferreira Lima, onde nos finais de semana a algazarra lá é tão grande por causa de uma conveniência que os motoristas tem grande dificuldade em passar por aquele local
 
Wellington Sampaio em 18/11/2011 12:21:13
Proibir que as pessoas tomem uma cervejinha na rua??? Multar quem faz bagunça nas ruas??? Qual é o conceito de bagunça??? Multar os comerciantes como, se eles não têm poder de polícia??? Esses vereadores ganham muito salário para inventar tantas bobagens.
 
Carlos Alcântara em 18/11/2011 12:03:12
Sou a favor da proibição e combate das algazarras e aglomerações que ocorrem em frente aos postos de gasolina e conveniências, mas não cabe ao comerciante dono do estabelecimento inibir esses atos, estão querendo aliviar o trabalho da polícia.
 
Antonio Carlos Azuaga em 18/11/2011 11:51:59
Agora são 21:40, do dia 18 de Novembro de 2011, neste momento acontece um musical na praça do Radio Clube, moramos no Edificio Centenário ap 32, convidamos as pessoas a vir apreciar daqui. O som da concha ecoa nos apartamentos com intensidade que dificulta a quem quer descançar, ler ou conversar. Este é o primeiro problema e que se repete todas as semanas, em algumas duas ou tres vezes.
 
Jose Aquiles Kloeckner em 18/11/2011 10:47:25
vou continuar tomando minha cerveja na conveniencia,ligando som do carro mas em volume ambiente e minha namorada que nao bebe vai continuar levando meu carro como sempre.
 
rafael lopes em 18/11/2011 10:23:00
palhaçada isso por isso cada vez mais os brasileiros votao NULO porque essa cambada não faz nada que presta.pq eles não fazem blits a noite. "sabem que correm o risco de serem pego tomando wisque dirigindo alcolizados. ai proibem o coitado do trabalhador que nao tem dinheiro para comprar wisque.
 
rafael lopes em 18/11/2011 10:21:13
Retrocesso democrático, voltando à ditadura...
 
richard freitas em 18/11/2011 10:20:31
isto é uma questão de segurança publica, não precisa mais de leis, o que precisa é as leis serem cumpridas, todos nós temos o direito de ir e vir, mas ninguem tem o direito de tirar a paz e o sossego de ninguem, com algazarras e baixarias, os comerciantes não tem culpa.oo que precisa é mais fiscalização das autoridades sem dó nem piedade, com a palavra o nosso governardor.
 
adão da graça em 18/11/2011 10:19:54
Daqui a pouco vamos ter o toque de recolher as 22hs.
Ridiculo tdo isto!
 
Vanderson Roger Fávaro em 18/11/2011 09:07:19
Quem diz que Campo grande não tem vida noturno é pobre ou imbecil, aqui há varios lugares e muitas coisas para se fazer. Quer bagunça, balbúrdia, desorganização, vá morar em Cuiabá, cidade nojenta onde até funk com gartoas peladas tem na rua, se pra vc isso é diversão, vá morar lá.
 
Ataíde de Souza em 18/11/2011 08:30:50
Certíssimo, beba em casa ou em bares (com alvará), no mundo inteiro é assim, só aqui que pode tudo, em alguns países não se pode comprar bebida e levar dentro do carro, tem que ser no porta malas. Quando a população não tem educação e discernimento tem que criar leis que os impeçam de fazer besteira. É um absurdo essa algazarra que acontece em conveniências e posto de gasolina.
 
José Gregório Silveira em 18/11/2011 08:28:48
sou a favor sim,pois este pessoal que fica enchendo a cara em conveniência postos de gasolina,são os mesmo que sai fazendo cavalinho-de-pau nas ruas matando pais de familias e trabalhadores...
 
josè leôncio benites em 18/11/2011 07:08:15
PORQUE NAO PROIBAM A FABRICAÇAO DESTES PRODUTOS ENTAO...E O HORROR DE TRIBUTOS Q O ESTADO COBRA SOBRE AS BEBIDAS ALCOLICAS VAI P ONDE ???? ESTES DINHEIRO TINHAN Q USAR EM FISCALIZAÇAO DESTES POUCOS Q BEBEM E FAZEM ALGAZARRA.. MTAS PESSOAS BEM E SE COMPORTAM... VAMOS TER Q PAGAR POR MAIS ESTA....
 
marcelo da silva soares em 18/11/2011 07:02:28
Invés dos representantes da populção ( politicos) estarem preocupados em resolver problemas da nossa cidade , como segurança publica, e atendimento médico nos postos de saúde, estão querendo colocar um monte de gente no olho da rua , pois os bares gerão empregos.

AGORA NÃO POSSO DESCANSAR E TOMAR MINHA CERVEJA EM PAZ, DEPOIS DE UMA SEMANA DE TRABALHO

DIREITO DE IR e VIR
 
Hilton Rodrigues em 18/11/2011 06:58:06
.pois deveria fazer lei perpétua para os pedófilo e estrupador isso sim.
 
alessandra dos anjos em 18/11/2011 06:20:27
É... CUIABA, É BEM MELHOR QUE CAMPO GRANDE, tinha ficado triste da COPA DE 2014 ter sido aceita lá... agora fico aliviada... pensa, a quantia de turistas que iria ter aqui e querer SENTAR-SE em algum lugar para tomar uma cervejinha, que a grande maioria da população brasileira gosta de faze,r e NÃO PODER!!!
É o cumulo isso e mais ainda é passar a responsabilidade da pUlicia para o comerciante..
 
Fernanda Gregory em 18/11/2011 05:28:43

Nossos políticos só sabem fazer leis que proíbem isso e aquilo, ora será que não existe outra solução?
 
Giseli Zanini em 18/11/2011 05:12:54
Esta proposição é totalmente inconstitucional, pois fere um dos direitos e garantias fundamentais do cidadão que é o de "ir e vir". Além do que, coloca em risco a segurança jurídica dos contratos firmados entre proprietários de postos de gasolina e empresas de conveniência. Entendo que o assunto deveria ser tratado como uma questão que deve ser combatida pelos órgãos de segurança pública. E só!
 
oscar mendes em 18/11/2011 05:12:49
Não quero tecer maiores comentários a respeito; Mais uma lei para não ser cumprida, esperamos que o executivo vete-a por incosnstitucionalidade, quem tem que zelar pela segurança é o Estado e não os comerciante conforme querem impor.Os comerciates já arcam com uma enorme carga tributária e agora querem impor-lhes poder de policia.
O que falta inventar emCampo Grande?
 
porfirio vilela em 18/11/2011 04:18:07
O poder de fiscalizar é, sempre será da polícia, não do comerciante que está dentro de seu estabelecimento trabalhando, coisa que "eles" não o fazem. Por isso, ficam inventando literalmente bobagens como estas. Se a Copa fosse em C. Grande? Já pensaram a Copa do Mundo sem cerveja em Cuiabá?
 
João Coelho em 18/11/2011 04:09:00
Seria melhor se esta fosse uma Lei Federal e que igualasse nosso País com os de primeiro mundo.
 
Gilberto Picolotto Junior em 18/11/2011 03:56:08
Só digo uma coisa, coitado dos comerciantes, sou totalmente contra essa atitude... O cidadão deve ter o direito de consumir sua bebida onde bem entender, sem que perturbe o direito de outro cidadão... Nem todos que bem em postos ou conveniências estão dirigindo, sempre há uma esposa/marido ou amigo que não bebe no volante.
 
FLÁVIO HENRIQUE em 18/11/2011 03:39:35
Somente multa não resolve, tem que ser multa e medida sócio-educativa obrigatória sob pena de reclusão se não cumprida.
 
Julio Gama em 18/11/2011 02:46:37
Seria otimo mas é esta lei infelizmente é inconstitucional, isso não a Câmara de veriador legislar..
 
Jakson Jheser em 18/11/2011 02:13:59
Acho que as autoridades na liberação dos alvarás,que devem tomar as devidas medidas contra alguns vandalos, por exemplo o prefeito realiza vários eventos todo ano na praça do rádio, e lá é vendido cervejas, batidinhas, quentão e nunca teve qualquer tipo de briga ou desavenças, se continuarmos a criar multa em tudo, daqui a pouco, nem poderemos mais sair de casa, acabou a democracia do País.
 
marivan miranda em 18/11/2011 01:57:56
Câmara realiza audiência para debater proibição do consumo de bebida
A Câmara Municipal de Campo Grande realiza uma audiência pública nesta sexta-feira (18), às 9 horas, para debater o polêmico projeto que pretende pro...
Assembleia recebe prestação de contas e fará limpeza de pauta antes do recesso
A última semana de trabalho do Poder Legislativo de Mato Grosso do Sul em 2017 será aberta com a audiência pública para prestação de contas do govern...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions