ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, TERÇA  31    CAMPO GRANDE 22º

Direto das ruas

Por falta de gás, crianças de escola integral passam o dia sem merenda

Por Zana Zaidan | 07/04/2014 18:11

Alunos da escola municipal Professora Ana Lúcia de Oliveira Batista, no bairro Paulo Coelho Machado, passaram o dia alimentados somente por bolachas de água e sal. Por funcionar em tempo integral, a falta de merenda pegou muitos pais de surpresa, que não contavam que os filhos fariam as atividades escolares sem almoço ou lanche, e gerou reclamações sobre a falta de informações da diretoria da escola.

“Uma das minhas filhas estava bem abatida, com fome, porque só bolacha de água e sal não sustenta ninguém, muito menos crianças que precisam se alimentar para estudar”, conta o cabeleireiro Eder Nogueira, 28 anos, que tem duas filhas, uma de 9 e outra de 6, que estudam na escola.

Ele afirma que a Direção da escola não comunicou pais ou responsáveis sobre o problema - a esposa só recebeu a informação porque a notícia se espalhou pelo bairro e, preocupada, foi buscar as filhas. “O mais grave é que eles vivem omitindo coisas como essa. Como pai, quero ter o direito de escolher se vou deixar minhas filhas expostas a essa situação, ou se não vou permitir que passem o dia com fome”, reclama.

Um grupo de pais chegou a cobrar explicações e um professor da escola justificou que a o gás não havia sido entregue a tempo pelo fornecedor.

“Nenhuma diretora ou coordenadora teve a preocupação de nos dar uma satisfação. Outra professora chegou a virar as costas para os pais. Foi só quando um professor resolveu conversar é que entendemos o que estava acontecendo”, finaliza.

Outro lado - A Prefeitura municipal, por outro lado, rebate a reclamação de que os alunos ficaram à base de bolachas. Por meio de nota, afirma que as crianças receberam “um lanche reforçado a base de frutas”.

A situação, diz a nota, foi gerada por um “problema no abastecimento” do gás de cozinha, o que impediu o preparo do almoço. “O problema foi gerado porque a empresa fornecedora atrasou a entrega do gás. A situação foi resolvida e, a partir de amanhã, o almoço será preparado e servido normalmente às crianças”, esclarece a prefeitura.