ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 17º

Sua Saúde

Tudo o que você precisa saber sobre a gordura no fígado

Veja sinais que podem indicar que o seu fígado não está bem

Conteúdo de Marca - Proncor|Santa Marina | 15/05/2024 07:30
A gordura em excesso no fígado, assim como em outros órgãos, causa uma inflamação de baixo grau, capaz de gerar lesão e fibrose. (Foto: Divulgação)
A gordura em excesso no fígado, assim como em outros órgãos, causa uma inflamação de baixo grau, capaz de gerar lesão e fibrose. (Foto: Divulgação)

Seu fígado tem a sua atenção? Se não, é importante se atentar aos cuidados para que o órgão não fique sobrecarregado. A esteatose hepática, popularmente conhecida como "gordura no fígado", é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura neste órgão. De acordo com a Dra. Dayana Peterle (CRM/MS 14127), quando a gordura presente no fígado ultrapassa 5% de sua massa, ela já é considerada uma doença.

De acordo com a Dra. Dayana Peterle, quando a gordura presente no fígado ultrapassa 5% de sua massa, ela já é considerada uma doença.
De acordo com a Dra. Dayana Peterle, quando a gordura presente no fígado ultrapassa 5% de sua massa, ela já é considerada uma doença.

A gordura em excesso no fígado, assim como em outros órgãos, causa uma inflamação de baixo grau, capaz de gerar lesão e fibrose (uma espécie de cicatriz), levando progressivamente à perda da função hepática", alerta a especialista Dayana Peterle.

Causas e consequências

A principal causa da esteatose hepática é a resistência à insulina, o mesmo mecanismo que desencadeia o diabetes mellitus tipo 2.

No entanto, outros fatores podem contribuir para o desenvolvimento da doença, incluindo o uso de certos medicamentos, consumo de ervas e chás, ingestão de álcool, doenças autoimunes, e hepatites virais (como hepatite B e C).

A importância de conhecer e entender essa doença é destacada pela Dra. Dayana. Atualmente, a esteatose hepática é a principal causa de cirrose no mundo, superando o álcool e a hepatite C, que antes eram os principais vilões. Consequentemente, ela também se tornou a principal causa de hepatocarcinoma (câncer de fígado) e de transplantes hepáticos.

Prevalência e diagnóstico

Com o aumento dos casos de sobrepeso e obesidade, a esteatose hepática está se tornando uma pandemia silenciosa, acompanhando de perto a síndrome metabólica. Muitos pacientes, ao realizarem um exame de ultrassom, recebem o diagnóstico de "gordura no fígado", sem perceberem a gravidade da condição.

"Por ser assintomática nas fases iniciais, a doença foi negligenciada por muito tempo. Hoje, sabemos que isso é um grande erro e que a esteatose hepática não deve ser ignorada", enfatiza a Dra. Dayana.

Além de ser um problema hepático, a esteatose hepática é considerada um marcador de risco cardiovascular, aumentando as chances de infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC), que continuam sendo as principais causas de morte no mundo.

Avaliação e tratamento

A avaliação por um especialista é indispensável para investigar a causa da esteatose hepática e realizar uma análise metabólica e cardiovascular detalhada. Pacientes com sobrepeso (IMC ≥ 25), diabetes mellitus tipo 2 ou síndrome metabólica devem ser submetidos a rastreio para esteatose hepática, geralmente através de um exame de imagem como a ultrassonografia de abdome superior.

Para quem precisa marcar ultrassom em Campo Grande, o Proncor oferece uma ampla variedade de exames especializados. O diagnóstico da esteatose hepática envolve a análise de ultrassom, exames laboratoriais e, em casos específicos, até a realização de biópsia hepática.

No Proncor é possível agendar consulta com gastroenterologista e realizar uma ampla variedade de exames, incluindo a ultrassonografia de abdômen.
No Proncor é possível agendar consulta com gastroenterologista e realizar uma ampla variedade de exames, incluindo a ultrassonografia de abdômen.

Mudanças no estilo de vida

O principal tratamento para a esteatose hepática é a perda de peso através de mudanças sustentáveis nos hábitos de vida. Contrariando a crença popular, não é necessário reduzir o consumo de gorduras saudáveis, como a gordura animal, mas sim adotar uma alimentação com baixo teor de carboidratos e ultraprocessados, além de praticar exercícios físicos. Em alguns casos, pode ser necessário o uso de medicações.

Perdas de peso superiores a 10% podem até mesmo reverter algum grau de fibrose hepática. Dra. Dayana finaliza com um conselho:

"Como toda doença crônica, a esteatose hepática necessita de manutenção do tratamento a longo prazo".

Com esse entendimento, é possível enfrentar a esteatose hepática com mais seriedade e prevenir complicações mais graves no futuro.

Prevenção é o Melhor Remédio

Realizar check-ups regulares e agendar consultas preventivas é essencial para manter sua saúde em dia. Esses cuidados permitem a detecção precoce de possíveis problemas de saúde, reduzindo significativamente o risco de emergências e otimizando seu tratamento.

No Centro Médico Proncor é possível agendar consulta com gastroenterologista e mais 20 especialidades médicas, com opções de atendimento tanto por convênios quanto de forma particular.

Para quem precisa marcar consultas e exames em Campo Grande, o Proncor conta com uma equipe de especialistas altamente qualificados e oferece uma ampla variedade de exames.
Para quem precisa marcar consultas e exames em Campo Grande, o Proncor conta com uma equipe de especialistas altamente qualificados e oferece uma ampla variedade de exames.

O Hospital Proncor está preparado para te atender, confira os endereços:

Siga Proncor e Hospital Santa Marina nas redes sociais.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias