A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Outubro de 2019


12/10/2019 07:12

Viajar tem custo, mas é um erro achar que viagem é só para quem pode

Sete dicas importantes sobre como economizar na sua viagem, então vai ver que nem toda viagem envolve muito dinheiro

Paulo Nonato de Souza
Antes de embarcar planeje, faça poupança para cobrir as despesas de passagem/hospedagem e não estoure o orçamento com alimentação (Foto: Reprodução)Antes de embarcar planeje, faça poupança para cobrir as despesas de passagem/hospedagem e não estoure o orçamento com alimentação (Foto: Reprodução)

Quem no retorno de viagem já não ouviu um típico comentário do tipo: Está podendo, hein?! Normalmente feito por pessoas que não viajam por preferir não sair de casa ou por avaliar que o custo de uma viagem é alto demais e o gasto seria desnecessário, apesar de todos os valores agregados ao ato de viajar, como descanso, diversão, conhecimento e experiência de vida.

Por isso, seguindo a proposta de apontar macetes aos leitores sobre como fazer uma viagem econômica, na publicação deste sábado, 12, o canal de turismo Lugares Por Onde Anda, do Campo Grande News, traz dicas do Equipe Organizze, um aplicativo gratuito especializado em controle de gastos.

“Sair por aí conhecendo lugares tem um custo, mas o grande erro é achar que toda viagem envolve muito dinheiro”, diz o Organizze. Planejamento, poupança antecipada para cobrir as despesas de passagem e hospedagem, e ter controle sobre os gastos durante a permanência no seu destino, são algumas dicas essenciais para não estourar o orçamento. Veja as sugestões abaixo:

1. Faça você mesmo, sem agência:

Procurar uma agência de turismo para suas viagens não é uma boa pedida para economizar. A cada serviço oferecido existem taxas que você desconhece, sem contar que terá menos opções disponíveis quando o assunto é hospedagem ou transporte.

2. Avalie a escolha do destino:

Em algumas cidades os custos são mais elevados do que em outras. Se você já estipulou um valor máximo para os seus gastos, evite roteiros muito badalados onde qualquer refeição ou saída sejam muito caros.

Para acertar em sua escolha, você pode se guiar através de listas como a divulgada anualmente pelo TripAdvisor dos destinos internacionais e nacionais ou pelas dicas do site Price of Travel, que fornece valores dos serviços básicos (hospedagem, refeição, transporte e outros) em diversos lugares do mundo.

3. Compre as passagens antecipadamente:

Compre as passagens de ida e volta com alguma antecedência, especialmente se for para o exterior (no mínimo 3 meses antes). Pesquisando, você poderá comparar preços entre as companhias aéreas.

Também é importante ficar de olho no programa de milhagens do seu cartão de crédito. Se você usa com frequência esse meio de pagamento, pode ser que tenha acumulado uma boa quantidade de milhas. Com milhas é possível comprar passagem e não gastar nada.

4. Busque referências:

Se você tem conhecidos que já viajaram para o destino escolhido, converse com eles para saber boas opções de passeios, hospedagens, restaurantes e meios de transporte locais. Também não deixe de perguntar sobre aquilo que é ruim ou não tem um bom custo benefício. Isso ajuda você a não ficar somente nas referências online, às vezes controversas.

Mas caso não conheça ninguém que foi para o destino escolhido, verifique as melhores referências em sites especializados, como o TripAdvisor, Aprendiz de Viajante, Viagens Mil e Mochileiros.

5. Economia na hospedagem:

Se você não é do tipo que só quer hotel para deixar a bagagem e dormir, porque prefere bater-perna e explorar ao máximo o lugar, então não precisará de hotéis de luxo e vários serviços. Neste caso a dica é escolher opções mais baratas com wi-fi, cama limpa chuveiro quente e boca localização.

Quando o orçamento não é dos maiores, as opções de hospedagem são os albergues, nos quais normalmente quartos e banheiros são comunitários, e os BnBs (bed and breakfast, em português, cama e café da manhã) em residências familiares.

Você ainda pode se cadastrar em um desses sites de troca de casas, como o HomeExchange, HomeLink e Intervac, que oferece hospedam gratuitamente na casa de alguém enquanto ela fica na sua. Após se inscrever no site e encontrar interessados na troca, vocês conversam e definem tudo por conta própria, sem intervenção do site.

6. Fique atento ao item alimentação:

A alimentação é um dos itens mais caros de uma viagem. A maioria dos restaurantes que constam nos guias de viagem e recomendações não são lá muito baratos, porque são bastante requisitados pelos turistas. Mas você pode comer como um morador local e poupar o seu rico dinheirinho. Para isso, basta pesquisar sobre a rotina local, descobrir endereços gastronômicos populares, onde a comida é boa, feita com ingredientes frescos e barata. E, se sua hospedagem permitir, você ainda pode cozinhar e aproveitar para conhecer as feiras e mercados da região.

7. De olho nas taxas:


Se você for viajar para o exterior, é importante verificar as taxas de câmbio, saques e do uso do cartão. Com um pouco de planejamento você pode prever o quanto vai gastar para usar seu dinheiro lá fora.

Geralmente os cartões de crédito tem taxas mais altas se comparados aos cartões de viagem internacional. Esta última opção permite que você insira créditos e gaste no seu destino, já convertidos na moeda local e sem alteração do câmbio (vale o valor fixado no dia da recarga).

Após planejar a sua viagem e definir quanto será gasto, não se esqueça que imprevistos podem acontecer. Portanto, tenha sempre uma reserva para o caso de precisar. Ainda é importante que você anote seus gastos para não sair do orçamento. Com essas medidas simples você poderá aproveitar uma excelente viagem gastando menos.

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.