A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 20 de Junho de 2018

13/01/2011 08:54

As chuvas de verão e o papel do poder público

Lucimar Couto

A chuva é um dos fenômenos naturais e não temos nem como recorrer a quem seja para evitá-la ou mantê-la sob controle.

Quando comedida é sempre bem-vinda, indispensável, uma benção! Quando excede é indesejada sob todos os aspectos. As cheias trazem mazelas e prejuízos os mais variados e piores que secas.

A saúde é precarizada e o nosso corpo fica sujeito a uma série de doenças entre elas a hepatite, leptospirose etc.

Como se não bastasse observamos os prejuízos materiais que para alguns – os mais abastados – podem parecer insignificantes, mas para o pobre é tudo o que conseguiu vida e que se esvai, desce nas enxurradas ou se perde com a invasão das águas. Armários, camas, guarda-roupa, TV, geladeira, fogão, tudo é danificado e os prejuízos que não repostos são incalculáveis. Além do incômodo e medo, mortes.

Mas a culpa não é só da natureza. Os administradores municipais, por relapsos, só agem, quando agem, para tentar remediar.

Precavidamente nenhum toma a iniciativa com a oportunidade que a situação requer. Não só pela incompetência por não saber planejar para enfrentar situações emergenciais como também pelo descuido em não tomar logo medidas preventivas como desentupimentos de esgotos e galerias, recolhimento de lixos e entulhos, desobstrução dos bueiros das passagens, drenagens etc.

É uma situação de pânico que nos faz sentir logrado pelas administrações municipais que anos seguidos não conseguem sanar ou amenizar a situação, por inábeis e criminosamente negligentes.

Pena que tenhamos receios ou não saibamos a quem recorrer por falta de esclarecimentos, pois contra o poder público caberiam ações por danos materiais e morais.

Lamenta-se que aos responsáveis não lhes atinja para serem responsabilizados pelo descuro que demonstram, afetando-lhes inclusive o bolso, pois só assim eles se compadeceriam dos milhares de vítimas negligenciadas pelo poder público, nas diversas instâncias.

A Justiça a tudo assiste apática, letárgica, não punindo, o que denota alienação e descompromisso com a sociedade a quem deveria amparar, de sua iniciativa!

(*) J. Hildeberto Jamacaru de Aquino é corretor de imóveis.

Condução coercitiva e os aspectos jurídicos
Em que pese tratar-se de temática absorta pela legislação processual penal desde a década de 40 (especificamente 1942, quando da entrada em vigor do ...
A carne mais barata do mercado é a carne negra
Os números apresentados pelo Atlas da Violência de 2018 mostram a agudização nas tendências do perfil de assassinatos cometidos no Brasil: a vítima é...
O impacto da arte
Campo Grande foi agraciada neste fim de semana com um espetáculo de dança-teatro que, certamente, é digno de ser apresentado nas maiores cidades do m...
Promessas inviáveis
Nos próximos seis meses, assistiremos a três eventos: bons jogos de futebol, repetitivas eleições e promessas inviáveis. Os primeiros, em função da C...


Aquino, este seu artigo vem a calhar com o que estamos passando no Brasil, geralmente no começo do ano, que é época de chuva, onde acontece muitos desastres, nós ficamos desolados com as notícias mas o que falta nas Administrações nas três esferas é uma ampla visão em Planejamento como foi feita no governo de Juscelino Kubitschek, ao planejar e construi Brasília. Hoje em pleno século XXI a preocupação com as nossas cidades é muito limitada, tem que construi, construa, mais com benefícios a longo prazo,
fazer certo, correto, um diagnóstico detalhado no que for feito, pois impostos pagamos, tributos e muitos outros.
Agir com Competência, e responsabilidade;
 
Kelly Aragão em 13/01/2011 10:28:21
O meu vizinho dos fundos trancou a unica saída de água pluvial de meu lote e a resposta da prefeitura, após telefonar para os números 33149900, 33145160, 33143542, 33149858, 33143513, 33143539 foi para procurar a Justiça!
Que legal, obrigado igualmente!
 
Carlos d'Amore em 13/01/2011 09:41:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions