A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

19/09/2017 15:25

Desarranjo planetário

Por Benedicto Ismael Camargo Dutra (*)

Enfrentamos um desarranjo global na gestão pública. Os líderes se afastam da ideia de que são responsáveis por imprimir melhora geral na qualidade humana e nas condições gerais de vida. Crescem as despesas, falta bom senso. O aumento populacional gera um aumento de encargos e problemas que se agravam com a falta de bom preparo para a vida e integração com a natureza, permanentemente atacada pelo imediatismo.

O grande desequilíbrio global na produção, comércio, empregos e consumo está se agravando. A OMC, o FMI, a ONU, todos teriam de olhar para isso e encontrar meios de restabelecer o equilíbrio econômico e financeiro entre os países para que sejam evitadas as guerras comerciais pelos mercados e o progresso se faça sem os atuais desníveis que aumentam a miséria e pobreza, com igualdade de oportunidades, mas sem o paternalismo nefasto do manto do Estado.

O Brasil, um parceiro frágil, está sendo condenado exatamente em que? Em defender empregos ou empresas? O que a OMC diz de países cuja mão de obra não perde tempo no transporte porque dorme no emprego e não se preocupam com a preservação da natureza e sustentabilidade? No embate pelo poder econômico, a situação mundial é grave. China e Estados Unidos compartilham os mercados, mas a China dispõe de população preparada internamente e nas universidades do mundo; acumulou capital e desenvolveu eficiente parque industrial. A influência dos EUA no comércio internacional vai se reduzindo e as consequências para o povo americano são imprevisíveis.

Está surgindo nova plataforma de comércio entre os países, alimentada pela necessidade de matérias básicas e oferta de industrializados com preços baixos. O Brasil corre o risco de se perpetuar como fornecedor de primários com efeitos sobre o progresso e a qualidade de vida, a menos que tenhamos estadistas lúcidos e sinceros para realizar barganhas equilibradas que possibilitem evolução.

A China mantém considerável montante de superávit da balança comercial. Uma boa soma para investir pelo mundo. Qual será a tendência para o futuro da economia mundial? China injeta dinheiro. Qual é o efeito sobre o país destinatário? Como recupera o valor investido? A transação traz ganhos para os dois lados?

O Brasil afundou na dívida e no despreparo das novas gerações, o que torna a situação ainda mais difícil, mas isso está sendo deixado para depois. Com primarismo, improvisação e incompetência mais de 80% dos municípios encerraram 2016 em situação fiscal difícil ou crítica. Apenas 13,8% das prefeituras foram consideradas de boa gestão.

Como o Brasil poderá promover dinamismo na economia apesar da dívida e sua projeção maligna? Não faltam candidatos cobiçando a presidência em 2018. Falam no controle do déficit e da dívida nos próximos cinco anos, no ajuste da previdência, mas não se dedicam a um plano sério de renascimento e recuperação do país. O egoísmo e a vaidade dominam o cérebro atordoando a boa vontade. Para promoverem pseudo-estadistas não vacilam em vender tudo, mesmo que não lhes pertença. Estão apagando o fogo dos escândalos, mas precisamos de planos que promovam a recuperação geral e renascimento do país.

A visão de melhor futuro depende da qualidade dos líderes, dos estadistas, da boa educação e preparo da população. Além disso, é necessário que o mercado interno seja fortalecido e haja dinheiro circulando naturalmente, coisa sempre escassa no Brasil de juros altos e baixa escolaridade. Precisamos estabelecer alvos nobres que tenham como prioridade a melhora geral das condições de vida no planeta e aprimoramento da nossa espécie.

* Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel, é articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br. É autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”;“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens”; “A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade”; e “O segredo de Darwin - Uma aventura em busca da origem da vida”(Madras Editora). E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7

13 de dezembro, o Dia do Pedreiro
Você sabia que a profissão de pedreiro é uma das mais antigas do mundo? Responsáveis pelo início das construções rústicas, os pedreiros existem desde...
A ofensiva e bilionária reforma da Previdência
Desinformação e Desqualificação. Essas foram afirmações da juíza substituta Rosimayre Gonçalves de Carvalho, da 14ª Vara Federal de Brasília para det...
Nada é de graça: qual é realmente o preço dos seus dados no Facebook?
Já se discute até certo ponto a prática de diversas empresas que prestam serviços na Internet de coletar os dados de seus usuários de maneira massiva...
Como proteger a casa durante a ausência no período de férias?
Férias são sempre boas oportunidades de recarregar as baterias, se divertir com os amigos ou a família e aproveitar bons momentos juntos de relaxamen...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions