ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 29º

Artigos

Desmatamento do Pantanal

Por Por Amanda Micheli Mariano de Mello (*) | 30/12/2016 08:54

O desmatamento é problema no Brasil e no mundo, e tem se tornado o foco de diversas discussões principalmente quando se refere a Amazônia. No entanto, a problemática não se restringe apenas a região norte – todos os demais ecossistemas brasileiros sofrem com este problema, principalmente o Pantanal. Em um intervalo de sete anos, o Pantanal perdeu 151.313 km² em de vegetação ou seja 2,82% da sua área de acordo com o Ministério do Meio Ambiente.

A pecuária é o principal vetor do desmatamento no Pantanal, de acordo com o levantamento, seguido pela produção de carvão vegetal. Visto que o Centro-Oeste, é uma das principais regiões de produção agrícola e pecuária do País. A saída dessa situação, segundo o Ministério, seria criar unidades que conservasse a região, esse mecanismo poderia ser o início para conter essa destruição ecológica.

O mais preocupante é que o Pantanal foi a segunda região mais atingida pelo desmatamento quando comparado a outros três biomas. Proporcionalmente, o Cerrado teve índice de desmate de 4,17%, seguido de Pantanal, Amazônia (2,54%) e Caatinga (2,01%). O levantamento revelou ainda que o Estado do Mato Grosso do Sul, que representa 40% da área total do Pantanal, desmatou 3,1% de sua área de 89.826 km² do bioma, enquanto o Mato Grosso, com total de 60.831 km², foi responsável por 2,4%, ou seja, parece que em algum tempo a região tenderá a desaparecer, se o desmatamento continuar dessa forma desmedida.

Os cinco dos 26 municípios que mais contribuíram para a destruição do Pantanal foram Corumbá (MS), Aquidauana (MS), Cáceres (MT), Santo Antônio do Leverger (MT) e Rio Verde de Mato Grosso (MS). As emissões anuais médias de dióxido de carbono associadas ao desmatamento no período foram de 16 milhões toneladas, informou o ministério.

O Pantanal é a região depois da Amazônia e do Cerrado, o terceiro bioma brasileiro (Que podem ser definidos como a diversidade de ecossistemas, formados por grandes formações vegetais encontradas nos diferentes continentes), a ter seu desmatamento divulgado para a população. Resta saber agora, quais serão os outros e em quanto tempo essa informação chegará às pessoas.

O desmatamento de áreas que antes tinham seu ecossistema preservado, é apenas uma prova, que o ser humano ainda está muito longe de entender que seu futuro e do nosso planeta está diretamente relacionado ao meio ambiente em que ele vive. Conscientização é o vocábulo que cabe perfeitamente quando o assunto é desmatamento.

(*) Amanda Micheli Mariano de Mello é acadêmica de Engenharia Ambiental na UFMS

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário