A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Outubro de 2019

15/07/2016 15:41

Dia do Pecuarista: apostar em genética é preciso

Por Tiago Carrara (*)

Dia 15 de julho comemoramos mais um Dia do Pecuarista e felizmente temos o que celebrar. A pecuária brasileira cresceu muito nos últimos tempos, dobrou de tamanho, passando de 102,5 milhões de cabeças para 204 milhões nos últimos 36 anos. Estes números comprovam que nossa atividade está cada vez mais eficiente. Mas isso não significa que tudo são flores em nosso setor.

Ser pecuarista no Brasil é um desafio. O produtor é demandado o tempo todo: precisa produzir carne e leite de qualidade, cuidar do bem-estar e sanidade dos animais e ainda garantir a rentabilidade da fazenda. E essas são apenas algumas das tarefas diárias que, de fato, precisam ser aperfeiçoadas, pois tudo que já é bom pode ficar melhor.

Capacitação, treinamento e investimentos, a começar por tecnologia que está a favor do pecuarista e precisa ser explorada. Entre tantas necessidades como: análise de solo, sanidade, controle do rebanho, nutrição animal, pouco ainda é falado em genética. Apenas 11% do rebanho brasileiro investe em inseminação. E isso é uma perda muito grande de produtividade e dinheiro na conta da fazenda.

Por exemplo, a questão do aumento dos insumos: o pecuarista precisa investir em tecnologias eficientes para produzir mais por área e garantir a margem por escala. Ter um plano genético auxilia na identificação do melhor animal para atender os objetivos de produção da propriedade. Tudo isso é possível e muitos já estão trabalhando dessa forma.

Por isso, precisamos parabenizar o pecuarista por estar cada vez mais ativo e envolvido na pecuária brasileira, conhecendo seus números, gerindo sua fazenda como de fato ela precisa ser gerida. Com trabalho e dedicação tudo que é investido pode voltar em dobro e até mais.

Procurar novas oportunidades e melhores resultados é preciso. É nisso que eu acredito. E você, pecuarista? Parabéns pelo seu dia e mãos a obra.

(*) Tiago Carrara é médico veterinário pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, especialista em Gestão de Pecuária de Leite e de Corte pelo Rehagro, especialista em Gestão com ênfase em Marketing pela Fundação Dom Cabral, gerente de Mercado da Alta.

Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
Sem comunicação não há evolução
Os líderes do agronegócio hoje concordam que precisamos dialogar muito mais com a sociedade urbana, pois sem isso não teremos aderência nas necessida...
A Ciência e o desenvolvimento: o óbvio que deve ser lembrado
Um país só se desenvolve se tiver ciência sólida que se transforme em tecnologia empregada pelo setor produtivo. Isso tem sido sobejamente demonstrad...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions