A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2017

22/02/2012 15:15

Feliz ano novo

Heitor Freire

Falácias são argumentos capciosos. Uma grande falácia repetida tantas vezes acaba se transformando em um arremedo de verdade. É o caso, frequente em nosso meio nacional, de que o ano só começa depois do carnaval.

E isso decorre de uma mentalidade que induz à preguiça e à busca de um argumento que justifique um “dolce far niente” que é realmente o que se pretende num modelo dito brasileiro.

Na realidade, o brasileiro não é preguiçoso. Ao contrário é um trabalhador consciente, senão o Brasil não seria o que é: Um país pujante, em franco desenvolvimento, conquistando seu lugar no concerto das nações e já ocupando o 8º lugar entre as mais desenvolvidas do planeta.

O carnaval é uma festa popular, importada, que caiu no gosto do povo brasileiro. As pessoas ficam aguardando o carnaval para dar curso à sua alegria, por isso essa espera gerou a falácia: No Brasil o ano novo só começa depois do carnaval.

Mas essa folia toda tem uma conotação muito negativa quando há um exagero no consumo de bebidas alcoólicas. Por isso o prefeito Nelsinho Trad tomou uma decisão para preservar a alegria consciente, inibindo o consumo das bebidas alcoólicas: proibiu a sua venda pelos ambulantes no entorno dos locais de grande comemoração, como no caso do nosso sambódromo. Muito bom, prefeito!

Enfim, feliz ano novo, minha gente!

(*) Heitor Freire é corretor de imóveis e advogado.

A bolha da saúde brasileira está prestes a explodir
A crise econômica e o crescente índice de desemprego da população brasileira refletiram diretamente no setor da saúde. Recente estudo revelou que mai...
Marchinhas do coração
Sei que existem as marchinhas preferidas do coração. São as do passado ou do presente, mas não é delas que quero falar, e, sim, do sofrido coração br...
Reforma da Previdência: aprofundando o deserto na vida dos trabalhadores
O cinema enquanto “sétima arte” muitas vezes busca retratar realidades cotidianas na telona. Não foi diferente o filme “Eu, Daniel Blake”, ganhador d...
O dilema das prisões brasileiras
No último mês de janeiro assistimos, estarrecidos, às rebeliões nos presídios de Manaus, Boa Vista e Natal. As cenas de corpos sem cabeças chocaram a...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions