A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 25 de Junho de 2018

11/04/2017 14:31

O papel da escola na celebração da Páscoa

Por Marisa Ester Rosseto (*)

Sabemos que a Páscoa é a celebração mais importante para os cristãos e, por extensão, para nós que atuamos em escolas confessionais católicas. Não se trata, portanto, de uma data qualquer.

A importância reside justamente no acontecimento que tal data marca. O mesmo talvez sirva para pensarmos nas outras datas que atravessam os calendários escolares.

Datas que marcam importantes aspectos da história local e nacional. Datas que, de alguma maneira, encontramos em nossas vidas cotidianas por indicarem nomes de ruas, praças, parques, bairros e, também, em nossos tempos vividos, pois marcam feriados, por exemplo.

O que está em jogo aqui é justamente a construção de significados em torno de tais marcadores. Assim, busca-se produzir sentidos a respeito de tais datas e fatos e não a mera memorização dos acontecimentos. Eis a diferença da escola na vida das crianças!

Então, as perguntas que compartilho com você, leitor, são: “Qual o significado de celebrar a ressurreição de Jesus?” e “De que forma essa comemoração pode ser feita de modo a retomar o que é ser cristão, o que é comungar (tomar em comunhão), o que é servir e de que modo podemos fazer essa nova aliança com Deus?”.

Não temos todas as respostas, mas acredito que projetos pedagógicos que contemplem os conceitos de doação e de partilha sejam alternativas eficazes. Projetos que insiram as crianças e os jovens na realidade em que vivem e que querem ver mudada.

Neste sentido, apenas para dar um exemplo, a disciplina de Ensino Religioso que agrega e que traz diferenciais pode trabalhar a temática da Páscoa a partir dos valores da espiritualidade, com a utilização de símbolos.

Entrar no tema a partir da ótica das culturas é uma possibilidade para as crianças da Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental, por exemplo, justamente porque os símbolos, de certa forma, promovem a construção dos significados e não a sua mera descrição, e tal movimento contribui para que a criança amplie as possibilidades de conhecer algo, de se expressar sobre algo.

Em uma escola que tem assumido cada vez mais papeis, também o eixo da solidariedade é destacado e demandado pelos familiares. Fazer campanhas de arrecadação de ovos de páscoa, deixando de estimular o consumo desenfreado, é uma excelente ideia.

Promover debates com os jovens do Ensino Médio sobre o que entendem da Páscoa, sobre o significado e a ressignificação da data, promover uma celebração com colaboradores, partilhando o pão, significa reassumir um compromisso de esperança.

(*) Marisa Ester Rosseto é diretora educacional do Colégio Marista Arquidiocesano, do Grupo Marista

A corda arrebenta para todos
Ao pensar na África, geralmente formamos imagens com exuberância de recursos naturais. Falta de água nos remeteria aos desertos daquele continente, e...
Os três pilares do aprendizado
A educação brasileira passa por um profundo processo de transformação com a implantação da nova Base Nacional Comum Curricular. Precisamos estar pron...
O país onde tudo é obrigatório
Nos Estados Unidos, na França e na Inglaterra, as regras ou são obedecidas ou não existem, por que nessas sociedades a lei não é feita para explorar ...
Universidade pública e fundos de investimento
  A universidade pública não é gratuita, mas mantida pelos recursos dos cidadãos. E por que a Constituição brasileira escolheu determinar esse tipo d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions