A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

28/05/2015 13:29

Saia da caverna!

Por Ruy Chaves (*)

A Alegoria da Caverna, livro 7 de A República, tem importância decisiva no pensamento de Sócrates que ao perseguir a Ideia do Bem identifica virtudes humanas de que os sofistas conhecem apenas sombras.

O mundo é uma imensa caverna absolutamente tomada pelas trevas de que são prisioneiros todos os homens. Acorrentados no fundo da caverna, os homens veem longeuma luz que rasga o teto e sombras projetadas nas suas paredesirregulares, sombras de deuses, de homens, de animais, de objetos.O que os homens conhecem são apenas sombras disformes projetadas nas paredes da caverna.

A caverna é a ignorância, a luz é o conhecimento.

O homem tem que se libertar de suas trevas. Mas as trevas são o ambiente que o homem conhece, a sua segurança, por pior que seja a sua circunstância. “Eu sou minha circunstância; sou o mundo que me circunda” diz Ortega y Gasset.

Conformar-se é submeter-se às trevas.O mundo não se limita ao entorno dos pés de quem o contempla. O umbigo não é o centro do mundo, ao redor de que tudo gira e se conforma. É preciso ser senhor de seu destino e não escravo de suas circunstâncias.

Como ser outro se na caverna as sombras protegeme nada é necessário porque tudo é suficiente?

Não há maior segurança que nos líquidos do ventre materno. Mas a mãeprecisa induzir o seu produto mais nobre a uma nova circunstância de riscos e de oportunidades. Não há oportunidades nem conquistas sem riscos. O homem nada é apenas sendo o que é.

A verdade não é a expressão de meras sombras distorcidas que escorrem pelas paredes das cavernas em que nos refugiamos.

Sair da caverna significa libertar-se, romper limites, conviver com o novo, ser outro a cada dia, aprender a aprender, perder, sofrer, temer, superaros seus fantasmas, conquistar, inconformar-se com a sua circunstância, buscar sempre nova circunstância.

A caverna está dentro de você. Liberte-se.Mas não basta o sair da caverna, o conhecer a luz, o assumir a sua nova circunstância apenas individualmente. O homem que se liberta das trevas deve voltar à caverna e tentar libertar os que continuam prisioneiros das trevas.

“Governar é remediar os males alheios”, diz Sócrates. Portanto, não pode governar aquele que tenha que remediar os seus próprios males e que continue prisioneiro nas trevas da caverna imensa. Panta rei.

(*) Ruy Chaves, diretor da Estácio e da Academia do Concurso

ICMS e agrotóxicos: um exemplo de lucidez em meio ao caos
O amplo conjunto de ações impostas em 2019 por governantes brasileiros no sentido de fragilizar a proteção ao meio ambiente não tem paralelo na histó...
Compliance: benefícios práticos nas empresas
Um dos principais patrimônios de uma organização é, sem dúvidas, sua reputação, que pode ter impacto tanto positivo como negativo nos negócios. Indep...
Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions