A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

28/02/2015 09:29

Verão: como conter o suor excessivo?

Por Paulo Guerra (*)

A estação mais esperada do ano para muitos, agrava um problema que causa sofrimento para tantos outros. Com suas altas temperaturas, o verão provoca muitos desconfortos, sendo o suor em excesso um dos maiores. Roupas manchadas e uma sensação de incomodo são comuns a quase todos. Imagine então às pessoas que sofrem com hiperidrose, doença caracterizada pela transpiração exagerada, especialmente, em regiões como as mãos, pés e as axilas. Sem dúvida, esses chegam até a temer a chegada do verão.

O tempo quente faz com que as glândulas sudoríparas, responsáveis pela transpiração, tenham que trabalhar de modo mais ativo para resfriar a temperatura corporal, que deve ficar entre 36,5 ºC. Em quem sofre com a hiperidrose, mesmo em momentos que o corpo está em repouso, as glândulas são continuamente estimuladas. Fatores externos, como as altas temperaturas, podem agravar ainda mais o problema.

O portador da hiperidrose tem sua autoestima fortemente comprometida pois o suor em excesso é associado a situações de nervosismo, ansiedade e insegurança. Noivos evitam a cerimônia de casamento, esportistas tem sua performance ameaçada, profissionais preferem atividades que dispensem um simples aperto de mãos.

Contudo, só existiam duas opções ao tratamento: a intervenção cirúrgica, chamada de simpatectomia, ou a aplicação da toxina botulínica. Ambos os procedimentos são caros, invasivos e sem garantias de resultado. A grande novidade é a chegada ao Brasil de um novo cosmético: o Perspirex - antiperspirante dinamarquês líder de mercado em 27 países capaz de reduzir o suor em 40% - que acaba de ser aprovado pela ANVISA para comercialização no país. Sua atuação vai muito além dos desodorantes comuns.

Em geral, os desodorantes agem como desinfetantes, matando as bactérias e camuflando o odor com perfumes. Os antitranspirantes agem na diminuição da produção de suor. Já o antiperspirante previne a formação, eliminando o suor e o odor. Segundo a FDA, órgão norte-americano que controla alimentos e medicamentos por meio de testes e pesquisas, para ser considerado um antiperspirante, o produto precisa reduzir a produção de suor em pelo menos 20% - metade do que reduz Perpirex.

O produto, que promete ser uma alternativa no tratamento à hiperidrose, age criando uma espécie de tampão em gel nas glândulas sudoríparas, impedindo a passagem do suor. O melhor de tudo é que sua atuação dura de três à cinco dias com uma única aplicação. Uma liberdade para quem sofre com o suor excessivo, em especial no verão.

(*) Paulo Guerra é diretor da Osler do Brasil, responsável pela distribuição de Perspirex.

As lições a serem aprendidas com o lago do Parque das Nações Indígenas
“Nesta terra molhada”, após 5 meses com inúmeras iniciativas, do governo e sociedade, o lago artificial do Parque das Nações está voltando a produzir...
Gestão pública é o caminho contra a corrupção
A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974. Ou seja, esse mal é algo comum e enraizad...
Biologia do solo e a qualidade do sistema produtivo
Entender o sistema solo como um ambiente extremamente complexo, dinâmico e vivo, é algo que faz a diferença no manejo agrícola. O solo é basicamente ...
A virtude da temperança
Não haverá Paz duradoura enquanto prevalecerem privilégios injustificáveis, que desonram a condição humana, pela ausência de Solidariedade, que deve ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions