A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

18/05/2012 13:33

Veta tudo Dilma: em defesa do Código Florestal

Por Luiz Zarref (*)

O projeto que altera o Código Florestal brasileiro, votado nesta semana na Câmara dos Deputados, representa a pauta máxima ruralista. A bancada apoiadora do agronegócio e defensora daqueles que cometeram crimes ambientais mostrou sua coesão e conseguiu aprovar um texto de forma entrelaçada, comprometendo todo o projeto.

O texto está de tal forma que se a presidenta Dilma Rousseff vetar partes dele, continua a mesma coisa. Exemplo: se vetar a distância mínima de floresta recuperada na beira de rios que ficou em 15 metros – atualmente é de 30m - o texto ainda fica sem nenhuma menção de recuperação nestas áreas.

O turismo predatório em mangues também fica permitido, segundo o projeto.

Os ruralistas também aproveitaram para dificultar o processo de Reforma Agrária, com a restrição de dados governamentais para a população e até mesmo com a tentativa de anular as áreas improdutivas por desrespeito ao meio ambiente, tal como manda a constituição.

O pousio, ou seja, o descanso que se dá a terra cultivada, ficou sem qualquer restrição de tempo e de técnica. Isso acaba com o conceito de área improdutiva. O texto viabiliza as áreas que estavam paradas desde a década de 1990 com regeneração de florestas. São 40 milhões de hectares nesta situação.

Além disso, os ruralistas fragilizaram o Cadastro Ambiental Rural, de forma que a população não tenha acesso aos dados, escondendo todos aqueles que cometem crimes ambientais e ferindo o princípio da transparência governamental para a sociedade.

A presidenta Dilma tem até a semana que vem para anunciar seus vetos, mas movimentos sociais e organizações ambientalistas já estão mobilizados para que a presidente derrube integralmente o projeto que saiu do Congresso Nacional.

A presidenta tem nas mãos ainda vasto apoio de parlamentares, organizações camponesas, sindicatos, sociedades científicas, entidades da igreja pelo veto global.

O papel dos setores progressistas é fazer pressão, enfrentar ideologicamente os ruralistas e criar um clima para que a presidenta Dilma faça o veto completo desse projeto. O meio ambiente e a Reforma Agrária estão seriamente comprometidos com esse texto que sai do Congresso Nacional.

(*) Luiz Zarref é dirigente da Via Campesina Brasil.

Antônio Baiano – Um Gigante
Roseli Marla, minha cunhada querida, neste momento de profunda tristeza que todos estamos vivendo com a morte prematura do nosso querido Antônio Baia...
Projeto de lei pretende punir quem ocultar bens no divórcio
Quem milita na área do Direito de Família está, infelizmente, mais do que acostumado a se deparar com inúmeros expedientes para fraudar o direito à m...
Internet, Vínculos e Felicidade
A cada dia estamos passando mais tempo em celulares e computadores. Tanto que muitas vezes, quando maratonamos seriados, até a televisão pergunta: "t...
Origem espiritual da Profecia
Em minha obra Os mortos não morrem, transcrevo estudos abalizados e relatos interessantíssimos sobre a realidade da vida após o fenômeno chamado mort...


Após o comprometimento do Vacarezza na CPMI do Cachoeira com o Governador do Distrito Federal,vamos pedir agora FORA VAREZZA não vacarra não o povo Brasileiro
 
Álvaro Roberto Ferreira em 18/05/2012 08:11:19
Brasil de tamanho continental, regiões e ambientes diferentes, sistemas de produção diferentes, radicalismo e interesses nem sempre legítimos tornam impossível fazer um código florestal que agrade a todos. Vetar simplesmente não é solução. Quero ver apresentar soluções alternativas viáveis e práticas. Tem gente que só sabe criticar e jogar lama no trabalho dos outros, mas trabalhar que é bom...
 
Carlos Silva em 18/05/2012 05:26:14
O autor deste artigo tem o direito de se manifestar sua opinião que para mim está equivocada, distorcida e tendenciosa. Não leu, não entendeu e faz questão de não entender o conteúdo do novo Código Florestal. Fruto de inúmeras discussões e audiências públicas pelo Brasil todo, o novo CF pode não ser perfeito mas é fruto de um consenso democrático entre os interessados.
 
Carlos Silva em 18/05/2012 05:17:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions