ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, QUINTA  04    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Doses atingem menos de 10% do grupo prioritário

De 890 mil pessoas, apenas 211,6 mil fazem parte da primeira fase da vacinação

Por Tainá Jara | 18/01/2021 10:09
Enfermeira imunizada idosa contra a gripe, dias antes do início da pandemia da covid-19 em Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação/SES)
Enfermeira imunizada idosa contra a gripe, dias antes do início da pandemia da covid-19 em Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação/SES)

Suficientes para imunizar 79.380 pessoas, as doses da vacina contra a covid-19 que devem chegar nesta segunda-feira, às 13h, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, não atendem nem 10% do grupo considerado prioritário. A primeira fase da vacinação irá abranger apenas idosos, indígenas aldeados e profissionais da linha de frente do combate à covid-19

De acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde), o Estado vai receber 158.760 doses, sendo duas para cada pessoa. O próprio secretário de Saúde, Geraldo Resende, admitiu, na manhã de hoje, que são poucos imunizantes, mas são um começo.

O número está abaixo do que o previsto no plano de distribuição de imunizantes e insumos contra a covid-19, divulgado na semana passada. O planejamento era para o transporte das vacinas para atender 145,6 mil pessoas na primeira fase da campanha, apenas nos 78 municípios do Estado.

Só na Capital, o grupo prioritário é composto de 163 mil pessoas. O prefeito Marquinhos Trad negociava a compra de 347.817 doses da CoronaVac ao Instituto Buntantan.

No Estado, o grupo considerado prioritário costuma ser composto por 890,5 mil pessoas no Estado.

São considerados dentro do grupo prioritário: idosos a partir dos 60 anos, pessoas com comorbidades, mulheres no pós-parto até 45 dias (puérperas), professores da rede pública e privada, profissionais da saúde, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

Devido a quantidade reduzida de vacinas, os critérios serão alterados para imunização contra a covid-19. Presos, por exemplo, foram retirados do grupo, nesta primeira etapa. A demora ocorre devido a impasses na compra das doses pelo governo Federal.

Hoje, a Secretária de Saúde, em cerimônia simbólica, no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, vai vacinar um profissional de saúde da linha de frente do Hospital Regional, um idoso institucionalizado no Asilo São João Bosco e um indígena.

Fases - A baixa disponibilidade de doses contra a covid-19 para vacinar até mesmo todo o grupo prioritário levou o governo a filtrar para primeira fase da vacinação.

Trabalhadores de saúde, pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência; pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência, de residências inclusivas (institucionalizadas); e população indígena aldeada serão os primeiros a receber a dose.

No Estado, este grupo era composto, até a semana passada, de cerca de 211,6 mil pessoas.

Ainda estão previstas mais duas fases: uma com 273,6 mil pessoas para vacinar e uma terceira com população estimada de 228 mil.

No Brasil - A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou, neste domingo (17), o uso emergencial de 6 milhões de doses da vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantã.

A logística contará com aviões e caminhões preparados para a refrigeração dos imunizantes. Além dos aviões da FAB, aeronaves das companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass farão o transporte gratuito da vacina para as capitais brasileiras. Após a chegada dos imunizantes às capitais, a distribuição passa a ser feita por cada Estado, com apoio do Ministério da Defesa.

A Anvisa também aprovou o uso emergencial de 2 milhões de doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca, mas ainda não há data definida para a chegada das vacinas ao País.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário