ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, SÁBADO  17    CAMPO GRANDE 19º

Cidades

“Nossa última batalha”, diz Geraldo ao narrar embarque de vacina para MS

Vacinação simbólica está marcada para às 17h, no HRMS; início da imunização no restante do Estado será amanhã

Por Anahi Zurutuza e Tainá Jara | 18/01/2021 09:38



Na guerra contra a covid-19, que devastou famílias em Mato Grosso do Sul, no Brasil e no mundo, o embarque das primeiras doses das CoronaVac representa o início da última e longa batalha que o Estado vai travar na pandemia. A analogia emocionada foi feita pelo secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, que filmou o embarque das doses da vacina contra o coronavírus em avião da FAB (Força Aérea Brasileira), nesta manhã, em Guarulhos (SP).

“Nesse momento, o avião da FAB que vai levar as vacina para Mato Grosso do Sul. Momento importantíssimo, de muita emoção e ao mesmo tempo de muita ansiedade. Todos nós, secretários de saúde, prefeitos, governador aguardamos com ansiedade, com muita expectativa, a chegada da vacina. A última batalha que nós estamos travando”, afirma no vídeo.

Diferente do que estava previsto anteriormente, a aeronave da FAB não pousa em Campo Grande no fim da manhã, mas às 13h. Segundo Resende, o mesmo avião passará para deixar doses em Santa Catarina primeiro.

À direta, Geraldo Resende aponta para a bandeira de Mato Grosso do Sul e comemora doses enviadas para o Estado ao lado do ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello (Foto: Governo de MS/Divulgação)
À direta, Geraldo Resende aponta para a bandeira de Mato Grosso do Sul e comemora doses enviadas para o Estado ao lado do ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello (Foto: Governo de MS/Divulgação)

Momento histórico - Resende adiantou que vacinação simbólica está marcada para às 17h, no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul). Receberão as primeiras aplicações, três integrantes dos grupos prioritários da etapa inicial da campanha nacional de imunização: um idoso morador do Asilo São João Bosco, um profissional que saúde que atua na linha de frente do hospital referência no atendimento aos pacientes de covid e um representante das comunidades indígenas do Estado.

“A partir de amanhã comecemos a vacinar a nossa gente com quantitativo que, nesse momento, é pequeno, mas que vamos respeitar tudo aquilo que foi planejado dentro do PNI (Programa Nacional de Imunização), para que nossa gente tenha acesso a essa vacina”, completou Geraldo Resende.

O número de doses que serão enviadas a Mato Grosso do Sul será maior do que estava previsto nesta manhã. Mais cedo, com base em informações do Ministério da Saúde, o governo havia informado que 61.760 ampolas do imunizante seriam enviada ao Estado. Agora, por volta das 9h30, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) atualizou a quantidade, 158.760 doses para vacinar 79.380 pessoas.

O secretário participou hoje cedo de reunião com o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, e representantes de outros 10 estados brasileiros.

Pista de pousos e decolagens da Base Aérea de Campo Grande, onde o lote de doses da CoronaVac desembarcarão, em dia nublado (Foto: Henrique Kawaminami)
Pista de pousos e decolagens da Base Aérea de Campo Grande, onde o lote de doses da CoronaVac desembarcarão, em dia nublado (Foto: Henrique Kawaminami)

No Brasil - A distribuição 4,6 milhões ampolas do imunizante para todo o País começa nesta manhã a partir do Departamento de Logística em Saúde, em São Paulo.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou, neste domingo (17), o uso emergencial de 6 milhões de doses da vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Ainda segundo o ministério, a logística contará com aviões e caminhões preparados para a refrigeração dos imunizantes. Além dos aviões da FAB, aeronaves das companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass farão o transporte gratuito da vacina para as capitais brasileiras. Após a chegada dos imunizantes às capitais, a distribuição passa a ser feita por cada Estado, com apoio do Ministério da Defesa.

A previsão é que na quarta-feira (20), a vacinação comece em todo o País. Os primeiros a receber o imunizante serão idosos que vivem em asilos, indígenas e profissionais de saúde da linha de frente no combate ao coronavírus.

A Anvisa também aprovou o uso emergencial de 2 milhões de doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca, mas ainda não há data definida para a chegada das vacinas ao País.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário