ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, DOMINGO  26    CAMPO GRANDE 14º

Cidades

Advogado que sequestrou empresário foi denunciado por agredir e roubar cliente

Rodrigo Marques da Silva acumula passagens por apropriação indébita, roubo majorado, dano e ameaça

Por Ana Paula Chuva | 29/01/2024 13:09
Ficha mostrando situação regular de Rodrigo na OAB-MS (Foto: Reprodução)
Ficha mostrando situação regular de Rodrigo na OAB-MS (Foto: Reprodução)

O advogado Rodrigo Marques da Silva, 44 anos, que sequestrou um empresário em Coxim, acumula passagens pela polícia e já foi denunciado em ao menos dois casos. Um deles de apropriação indébita por ficar com R$ 39.838,08 de um cliente e por agredir homem para que ele assinasse o documento de entrega de uma caminhonete. O primeiro caso aconteceu em 2023 e o outro em 2019.

Conforme apurou o Campo Grande News, Rodrigo tem passagens por ameaça, dano, roubo majorado, apropriação indébita e furto. Em nenhum dos casos ele foi condenado, mas já foi denunciado pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e o pedido foi aceito pela Justiça.

Em novembro de 2021, o MP denunciou Rodrigo por roubo majorado. No documento, consta que em abril de 2019, o advogado teria roubado um iPhone, um relógio e um isqueiro de um cliente que ele forçou a assinar documento de entrega de uma caminhonete S10. Outras duas pessoas estavam no local e foram denunciadas por omissão de socorro.

Segundo os autos, a vítima foi chamada para ir até o escritório de Rodrigo na Rua da Paz, em Campo Grande, e chegou ao local por volta das 11h, para tratar de negócios junto com um casal. No local, o homem passou a ser ofendido pelo advogado e então se levantou e saiu da sala.

No entanto, ao chegar no elevador, encontrou outro homem e passou a ser agredido com socos, pontapés e um golpe de mata-leão, sendo levado novamente para a sala de Rodrigo, onde continuou sendo agredido até quase desmaiar. Neste momento, o advogado o forçou a assinar um contrato de entrega de veículo, sendo obrigado a deixar a caminhonete.

Logo depois, o advogado pegou o iPhone, um relógio e um isqueiro da vítima. Em seguida, fez ameaças dizendo que se a vítima não se mudasse, ele o mataria assim como sua esposa e filho. O caso foi registrado na Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos). O casal que estava no local, assistiu a tudo e não acionou a polícia.

A denúncia foi aceita pela 2ª Vara Criminal de Campo Grande e encaminhada para a 6ª Vara Criminal. Uma audiência de instrução e julgamento deve ser realizada em junho deste ano.

Apropriação indébita - Outra denúncia do MP foi feita no dia 28 de junho do ano passado. No documento consta que Rodrigo e outro advogado se aproveitaram da profissão para ficar com o dinheiro de um cliente. O valor seria referente ao processo de devolução de parcelas de um terreno pago.

Após a decisão da Justiça favorável ao cliente de Rodrigo, a imobiliária fez a devolução do valor na conta bancária do advogado, mas esse dinheiro nunca chegou nas mãos da vítima, que decidiu procurar a polícia e registrar um boletim de ocorrência. A denúncia do MP é de 31 de agosto de 2023 e foi aceita quatro dias depois pela 6ª Vara Criminal de Campo Grande.

Atuando na própria defesa, Rodrigo alegou que a culpa era da imobiliária que ignorou os dados da conta onde o valor deveria ser depositado e fez a transferência para uma em que havia dívidas e por isso o dinheiro ficou retido.

Ele afirmou ainda que negociou com o cliente para fazer o pagamento do valor parcelado, no entanto, o homem acabou indo até a casa da irmã do advogado e fez diversas ameaçadas. Nova dias depois, ele teria voltado ao local e ateado fogo em um veículo que estava na garagem da residência.

Com isso, ele alega que não conseguiu mais ir atrás dos valores para repassar ao cliente e também perdeu a comunicação com o mesmo. Ambos os casos foram denunciados à polícia, segundo o advogado. O caso ainda não foi julgado.

Sequestro - Na manhã desta segunda-feira (29), Rodrigo foi preso acusado de ter sequestrado um empresário de 62 anos. Na ocasião, testemunhas contaram que viram o advogado e outros dois homens na frente da casa do idoso em um veículo Fiat Cronos por volta das 7h30. Eles exigiam Pix no valor de R$ 250 mil e ameaçavam a vítima de morte.

O empresário foi levado com um saco na cabeça e depois levado para a região do lixão da cidade. Em seguida, os homens foram até o pátio de um posto de combustíveis com a vítima. No local, ficaram sabendo que a polícia já havia sido avisada, com isso os comparsas fugiram e o advogado foi preso.

Segundo o empresário, outro profissional que trabalhava no escritório de Rodrigo atuou em processo de seu interesse, mas houve desentendimento entre eles. Desde então, eles querem parte do dinheiro que a vítima recebeu na ação que já estava sob cuidados de outro defensor.

Em nota, a OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso do Sul) informou que adotará as medidas legais cabíveis, "inclusive de natureza disciplinar, respeitando sempre o direito à ampla defesa e contraditório".

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas  redes sociais.

Nos siga no Google Notícias