ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 28º

Cidades

Após PCC, ação mira lavagem de dinheiro do Comando Vermelho com alvos em MS

Entre os principais alvos estão os líderes da organização conhecidos nacionalmente, Elias Maluco e Marcinho VP

Por Anahi Zurutuza | 17/09/2020 06:57
Agente do Gaeco durante uma das operações em Campo Grande (Foto: Marco Ermínio/Arquivo)
Agente do Gaeco durante uma das operações em Campo Grande (Foto: Marco Ermínio/Arquivo)

Depois do PCC (Primeiro Comando da Capital), a maior facção criminosa que age dentro e fora dos presídios do País, ser alvo de três operações em Mato Grosso do Sul em uma semana, agora o alvo é o Comando Vermelho. A Operação Overload 2, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado) e Polícia Civil do Rio de Janeiro, também está na ruas Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina.

São ao todo 28 mandados de busca e apreensão em endereços vinculados a 12 denunciados por esquema da lavagem de dinheiro do tráfico. Entre os principais alvos estão os líderes da organização conhecidos nacionalmente, Elias Pereira da Silva, o “Elias Maluco”, e Márcio Santos Nepomuceno, o “Marcinho VP”, ambos presos na penitenciária federal de Catanduvas.

Segundo o Gaeco do Rio, além de expedir os mandados, a 1ª Vara Criminal Regional de Madureira também determinou o bloqueio de contas bancárias.

Além dos donos das contas emprestadas para “legalizar” o dinheiro obtido com a venda de drogas, empresas estão na mira.

Conforme apurou o G1 do Rio de Janeiro com a força-tarefa, em pouco mais de um ano, 10 CPFs e 35 CNPJs movimentaram R$ 200 milhões com ordens que partiam de dentro de presídios.

O Gaeco do RJ ainda não informou em quais cidades de Mato Grosso do Sul são cumpridos mandados. Mas, segundo o G1, agentes estão em Campo Grande (MS), Ponta Porã (MS), Curitiba (PR), Araucária (PR), Guarapuava (PR), Ponta Grossa (PR), São José dos Pinhais (PR), Belo Horizonte (MG) e Mafra (SC).

Outra facção - Entre os dias 25 e 31 de agosto, o PCC foi alvo de três operações no Estado. A Caixa Forte 2, da PF (Polícia Federal), a Operação Expurgo, também da PF, e a Operação Regresso, do Gaeco.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário