ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

Celular Seguro bloqueia 57,8 mil dispositivos em seis meses de funcionamento

Com mais de 2 milhões de usuários cadastrados, plataforma bloqueia dispostivos à distância

Por Clara Farias | 21/06/2024 11:44
Página inicial de aplicativo Celular Seguro (Foto: Marcos Maluf)
Página inicial de aplicativo Celular Seguro (Foto: Marcos Maluf)

Plataforma Celular Seguro, criada pelo Governo Federal, recebeu 57.790 mil alertas nos primeiros seis meses de funcionamento. Os dados foram divulgados pelo MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública) na quarta-feira (20). O acesso da plataforma é gratuito, e pode ser feito obtido por meio da Google Play (Android) e da Apple Store (IOS).

O programa possui mais de 2 milhões de usuários cadastrados, e funciona como botão de emergência. Quando acionada, a plataforma bloqueia o dispositivo, a linha telefônica e aplicativos bancários. Caso o usuário recupere o aparelho, é necessário recuperar os acessos em contato com a operadora e banco, já que a ferramenta não oferece a possibilidade de desbloqueio.

Conforme o MJSP, no próximo semestre, a plataforma terá novas funcionalidades, uma delas é a possibilidade de, ao acionar o alerta, a vitima bloquear o chip e aplicativos financeiros, mas manter o aparelho funcionando. Desta forma, caso um novo chip seja instalado no celular, aparecerá uma mensagem orientando a pessoa ir até a delegacia apresentar a nota fiscal de compra.

Também será incorporada ao programa, a lista de IMEIS (Identificação Internacional de Equipamento Móvel), para consulta de quem for comprar um aparelho usado. Ou seja, será possível verificar se o aparelho tem restrição ou registro de furto ou roubo.

No primeiro mês de funcionamento, só em Mato Grosso do Sul foram 5 pedidos de bloqueio em média por dia. Na época do levantamento, o Estado era o quinto que menos tiveram solicitações.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias