ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 15º

Cidades

Com 193 mil doses sobrando, saúde orienta população a vacinar contra a Influenza

Vacina está liberada para toda população a partir de seis meses de idade

Por Adriano Fernandes | 30/12/2021 19:12
Dose da vacina contra Influenza. (Foto: SES)
Dose da vacina contra Influenza. (Foto: SES)

Com os recentes registros de casos e mortes por H3N2 em Mato Grosso do Sul, a SES (Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul), colocou o à disposição doses remanescentes de vacina contra a Influenza para os 79 municípios, com o intuito de ampliar a oferta da vacina para toda a população geral.

Atualmente, Mato Grosso do Sul conta com 193.558 doses de vacinas contra a Influenza em estoque na rede de frio dos 79 municípios e mais 29 mil em estoque na Coordenadoria Estadual de Vigilância Epidemiológica da SES.

O secretário de estado de saúde, Geraldo Resende, destacou a importância da vacinação por parte da população. “É importante que aquelas pessoas que ainda não tomaram nenhuma dose contra a Influenza, vacinem-se! A vacina está disponível para a população em geral, a partir de seis meses de idade. Então, quem ainda não tomou, procure uma unidade de saúde para se imunizar”, pediu o secretário.

A 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, realizada pelo Ministério da Saúde no período de 12 de abril a 09 de julho de 2021, teve como objetivo a vacinação de grupos prioritários que foram previamente definidos pelo órgão buscando garantir o alcance da meta de cobertura vacinal de 90% nos grupos estabelecidos - índice que chegou a 76,7% até 30/12.

Com o prorrogação da campanha, as sobras das vacinas foram destinadas a toda população a partir de seis meses de idade enquanto durarem os estoques. A secretária-adjunta de Estado de Saúde, Crhistinne Maymone, também alerta que a população precisa estar atenta aos sintomas da doença. “Quem apresentar sintomas como dor de cabeça, dor de garganta, dor no corpo, tosse, coriza, febre deve evitar comparecer aos locais de festividades de final de ano e procurar uma unidade de saúde”, comentou.

O assessor militar da Secretaria de Estado de Saúde, Coronel Marcello Fraiha, lembra que embora o Estado tenha registrando casos de Influenza, não é momento para pânico.

“Mas é necessário seguir todos os protocolos de biossegurança – como uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento físico, bem como, tomar a vacina contra a Influenza. Nós temos acompanhado a série histórica da Influenza desde 2009 no Estado, só no ano de 2016, 116 óbitos foram registrados e neste ano três foram registrados até o presente momento. É importante que a população se proteja”, orientou.

Desde o início da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, o público-alvo estimado apto a receber o imunizante na Campanha de Vacinação era de 1.081.975 pessoas. Deste modo, o Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde, encaminhou para o Estado o quantitativo de 1.287.200 doses contra a Influenza, das quais 1.061.473 foram aplicadas até o dia 30 de dezembro de 2021.

Vítimas - A Secretaria de Estado de Saúde registrou nesta quinta-feira (30), o terceiro óbito por H3N2. O novo caso, trata-se de uma mulher de 55 anos de idade, moradora na cidade de Dourados, com início dos sintomas no dia 23 de dezembro, dando entrada na UPA no dia 27 de dezembro, vindo a falecer na área vermelha da UPA no dia 28 de dezembro.

A primeira morte ocorreu no dia 21 de dezembro em Campo Grande. Trata-se de um jovem de 21 anos que deu entrada no CRS Nova Bahia no dia 20 de dezembro foi transferido para o HRMS, mas não resistiu. O segundo óbito foi registrado na terça-feira (28), no município de Corumbá. Trata-se de uma idosa de 76 anos, que estava internada na Santa Casa de Corumbá.

Os três casos foram analisados pelo Lacen MS e confirmados para Influenza A (H3N2).

Nos siga no Google Notícias