ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  27    CAMPO GRANDE 33º

Cidades

Com poucos testes no interior, risco é de casos de covid serem mascarados

Para secretário estadual de saúde, saída é que municípios apliquem os exames disponíveis a todos que apresentarem sintomas

Por Lucia Morel | 16/09/2020 17:50
Geraldo Resende relata que, inclusive nos drive thrus, população tem agendado exames, mas não comparecido. (Foto: Marcos Maluf / Arquivo))
Geraldo Resende relata que, inclusive nos drive thrus, população tem agendado exames, mas não comparecido. (Foto: Marcos Maluf / Arquivo))

Em transmissão pela internet hoje, para divulgar os dados mais recentes de covid-19 em Mato Grosso do Sul, o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, fez um alerta aos municípios que têm realizado poucos testes de detecção da doença, o que pode mascarar o real número de casos.

O apelo vem depois de matéria do Campo Grande News, no dia 14 de setembro, que mostrou que há baixa realização dos exames em diversas cidades, sendo os casos mais alarmantes em Bela Vista, Paranhos e Anaurilândia. Nessas três, foram feitos até agora, menos de 10 testes a cada mil habitantes.

Segundo Resende, tal realidade pode dar “uma falsa sensação à população de que o pior já passou, o que não é verdade”, relata, enfatizando que o nível de contágio ainda não é o ideal, de 0,99, pelo menos. “Estamos em 1,06 na taxa de transmissão e queremos baixar pra menos de 1, que é quando veremos que a doença está tendo de fato, um arrefecimento”.

Na live, transmitida pelo Facebook do Governo do Estado, Resende sustentou que está havendo ainda pouca procura pelos drive thrus instalados em Campo Grande, Dourados, Três Lagoas e Corumbá, principalmente no que se refere aos testes rápidos.

À reportagem, o secretário enfatizou que muitas pessoas agendam horários para os testes, mas não comparecem para realizá-los. “Está declinando a própria demanda. A população tem marcado exames, agendado, mas menos da metade que agenda, comparece”, afirma.

Ou isso indica que Mato Grosso do Sul tem apresentado menos casos da doença ou que perdeu-se o medo dela. “As pessoas perderam o medo e secretários municipais de saúde vem fazendo pouca coleta de exames”, diz Resende, lembrando que o Estado comprou duas  novas máquinas para realização dos testes RT-PCR, ampliando a capacidade de testagem diária de 300 para 1,8 mil.

“Eu faço um apelo aos municípios. Agora o Lacen (Laboratório Central) está estruturado e podemos fazer muitos mais testes do que fazíamos no começo da pandemia. Se a pessoa apresentou alguma queixa, se procurou a unidade de saúde com algum sintoma, faça o exame”.

Com isso, Mato Grosso do Sul poderá ter uma cena real do que ocorre em relação ao novo coronavírus e tomar melhores decisões de como combatê-lo e preveni-lo. “Quanto mais conhecimento do alcance da doença tivermos, melhor serão traçadas as estratégias”, define.

Regras de comentário