ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  14    CAMPO GRANDE 21º

Cidades

Em MS, 57% das vítimas indenizadas por acidente de trânsito são pedestres

Em 4 meses, indenizações por acidentes de trânsito caíram 5% em MS em relação à 2019, mas chegaram a 2.289

Por Izabela Sanchez | 25/05/2020 12:08
Morador de rua foi atropelado há duas semanas na Avenida Ernesto Geisel e sofreu afundamento de crânio (Foto: Marcos Maluf)
Morador de rua foi atropelado há duas semanas na Avenida Ernesto Geisel e sofreu afundamento de crânio (Foto: Marcos Maluf)

De janeiro a abril deste ano, os pagamentos do seguro Dpvat (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) caíram 5% em Mato Grosso do Sul no comparativo com o mesmo período no ano passado. Foram 2.289 indenizações de um total de 112.070 emitidas pela seguradora líder - administradora do Dpvat - em todo o país no mesmo período.

Em todo o Brasil, ao contrário de Mato Grosso do Sul, houve aumento de 11%. Ainda assim, das mais de 2 mil indenizações pagas em quatro meses no estado, mais da metade foi para pedestres que foram vítimas do descuido dos motoristas.

 O levantamento indica que os pedestres foram 57% (1.309) das vítimas indenizadas por acidentes de trânsito entre janeiro e abril deste ano no estado. Com relação às demais, 37% (845) foram motoristas e 6% (135) passageiros. O grupo mais atingido foi entre 25 e 34 anos, representando 26% (602) dos casos.

Os dados ainda mostram aumento nos pagamentos do seguro por morte em Mato Grosso do Sul, salto de 9%,  e por despesas médicas, que foi de 22,5%. Os seguros por morte passaram de 185 pagamentos em 2019 para 201 entre janeiro e abril deste ano. Já o seguro por despesas médicas, que era de 391 indenizações entre janeiro e abril de 2019, passou para 479 em 2020. As indenizações do seguro por invalidez caíram 12%, passando de 1.838 em 2019 para 1.609 este ano.

No Brasil - Segundo o levantamento realizado pela administradora do seguro, as indenizações pagas por invalidez permanente representaram a maioria dos pagamentos no período em todo o país, 69% (76.952), e aumentaram 16% em relação aos primeiros quatro meses de 2019.

Na cobertura por despesas médicas houve aumento de 8% nos pagamentos: foram 24.007, cerca de 21% do total. Já os casos de morte tiveram queda de 9% em relação ao quadrimestre anterior, com 11.041 indenizações, cerca de 10% do total. A distribuição por gênero continua a mesma: homens são 75% dos casos. O grupo mais atingido foi entre 25 e 44 anos, correspondendo a 48% (54.008) do total de indenizações pagas.