ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 21º

Cidades

Entre janeiro e outubro, Mato Grosso do Sul registrou 359 homicídios dolosos

Segundo dados do Ministério da Justiça, foram 61 assassinatos a menos que o mesmo período em 2022

Por Ana Paula Chuva | 28/12/2023 12:45
Corpo de homem executado a tiros em outubro deste ano e placas colocadas pela perícia (Foto: Juliano Almeida | Arquivo)
Corpo de homem executado a tiros em outubro deste ano e placas colocadas pela perícia (Foto: Juliano Almeida | Arquivo)

Em dez meses, Mato Grosso do Sul registrou 359 homicídios dolosos, quando há a intenção de matar, segundo os dados divulgados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública na quarta-feira (27). Comparado ao mesmo período em 2022, a queda é de 61 casos, ou seja, 14%. Sem contar os meses de novembro e dezembro que ainda serão atualizados no portal.

De acordo com o levantamento, no ano passado e em 2023, o maior número de mortes foi registrado em outubro, no entanto, foram 61 e 42, respectivamente, no período. Este ano entre os casos está a execução a tiros de Fábio Alves da Silva, 43 anos. O homem foi atingido por 19 disparos enquanto saída do trabalho em um supermercado no Jardim Tijuca, em Campo Grande.

Câmera de segurança registrou o assassinato. A vítima cumpria pena no regime semiaberto por roubo e trabalhava no local há 15 dias. Até o momento, nenhum suspeito foi preso pelo crime que aconteceu no final da tarde do dia 19 de outubro deste ano.

Já no ano, um dos crimes que mais chamou atenção foi a execução do jogador de futebol Hugo Vinícius Skulny Pedrosa, 19 anos. O caso aconteceu em Sete Quedas, a 468 quilômetros de Campo Grande, em junho deste ano. No entanto, partes do corpo da vítima foram encontrados no dia 2 de julho no Rio Iguatemi. Sendo o único homicídio doloso registrado na cidade este ano.

Duas pessoas foram presas pelo crime, a ex-namorada do jogador Rubia Joice de Oliver Luivisetto e o “ficante” dela Danilo Alves Vieira da Silva. A primeira audiência de instrução e julgamento do caso deve acontecer em janeiro de 2024.

Ainda segundo o Ministério da Justiça, do total das vítimas de assassinatos dolosos este ano, 319 eram homens, 20 mulheres e 20 não tiveram o gênero informado. O maior número foi registrado em Campo Grande, sendo 108, seguido de Dourados, com 25 mortes, e Ponta Porã, com 24.

No ranking geral, Mato Grosso do Sul registrou mais mortes que Rondônia, Acre, Amapá, Distrito Federal, Roraima e Tocantins. Já os que mais tiveram homicídios dolosos são Bahia, que lidera disparado com 3.895, seguido do Rio de Janeiro e de Pernambuco.

No entanto, os dados da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) apontam que até esta quinta-feira (28) foram registradas 415 ocorrências de homicídio doloso contra 456 no ano passado, o que representa 41 casos a menos. Até outubro, foram 345 segundo a pasta.

Perícia científica usou luminol em busca de sangue no local onde corpo teria sido esquartejado (Foto: PCMS/Divulgação)
Perícia científica usou luminol em busca de sangue no local onde corpo teria sido esquartejado (Foto: PCMS/Divulgação)

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.


Nos siga no Google Notícias