ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

Erro de piloto levou à queda de avião que matou Gabriel Diniz, cantor de MS

As afirmações estão no relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, da FAB

Por Anahi Zurutuza, com Estadão Conteúdo | 30/10/2020 13:50
Gabriel Diniz se apresentou na Expogrande 2019, em abril do ano passado (Foto: Assessoria do artista/Divulgação)
Gabriel Diniz se apresentou na Expogrande 2019, em abril do ano passado (Foto: Assessoria do artista/Divulgação)

Condições meteorológicas adversas, atitude do piloto e indisciplina do voo levaram à queda da aeronave que transportava o cantor campo-grandense Gabriel Diniz, de 28 anos, conhecido pelo hit “Jenifer”, no ano passado.

As afirmações estão no relatório do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da FAB (Força Aérea Brasileira), divulgado na quinta-feira, 29. O relatório investigou as causas que levaram ao acidente com a aeronave Piper Cherokee PT-KLO, modelo PA-28-180, ocorrido no dia 27 de maio de 2019.

O documento aponta seis fatores para a queda do avião. Além da atitude do piloto e das condições meteorológicas adversas, foram listados: indisciplina de voo, julgamento de pilotagem, planejamento de voo e processo decisório.

Segundo o órgão, "sob condições meteorológicas adversas, houve desprendimento de componentes da aeronave em voo, seguindo-se da queda da aeronave".

O avião caiu no Povoado Porto do Mato, no município de Estância, em Sergipe. Gabriel Diniz ia de Salvador (BA) para Maceió (AL) para encontrar a namorada, Karoline Calheiros, e a família.

No acidente, morreram, além de Gabriel, Linaldo Xavier e Abraão Farias, ambos pilotos. No momento do acidente, apenas o primeiro estava exercendo a função, de acordo com a Cenipa.

Mais detalhes – O relatório aponta que o piloto não avaliou adequadamente os parâmetros para a operação da aeronave com a decisão do prosseguimento do voo em condições meteorológicas desfavoráveis. Com 83 horas 50 minutos de experiência de voo, o piloto Linaldo Xavier estava somente qualificado para realizar o voo em rota em condições estritamente visuais. A habilitação de Avião Monomotor Terrestre (MNTE) era válida.

"Não considerar os procedimentos previstos para se manter em condições de voo visuais concorreu para a exposição da aeronave a elevado risco de acidente", diz um trecho da decisão.

Outro fator citado pelo Cenipa é a indisciplina do voo. “Ao ingressar em área com instabilidade atmosférica e formações meteorológicas, o piloto deixou de observar a ICA 100-12/2016 Regras do Ar, que estabelecia os mínimos de visibilidade e distância de nuvens em Condições Meteorológicas de Voo Visual (VMC)."

Assim, o relatório concluiu que houve inadequação nos trabalhos de preparação realizados pelo piloto para aquele tipo de operação.

"A decisão de manter o voo para Maceió, em condições incompatíveis com o voo visual, demonstraram fragilidades na avaliação da situação, cujos prováveis impactos na segurança do voo não foram adequadamente considerados", afirmou o órgão.

O cantor – Gabriel Diniz, ou GD, como era conhecido, nasceu em Campo Grande, mas foi criado em João Pessoa (PB). Diniz se apresentou na Capital no mês de abril do ano passado, durante a Expogrande 2019. Ele dividiu o palco com a Banda Atitude 67.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário