A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

25/09/2019 17:08

Estado mantém duas confirmações, mas suspeitas de sarampo superam 2018

Dos 58 casos notificados, 30 foram descartados e 26 ainda são investigados pela Saúde

Tainá Jara
Vacina contra sarampo está disponível na rede pública de saúde (Foto: Divulgação)Vacina contra sarampo está disponível na rede pública de saúde (Foto: Divulgação)

Apesar de manter apenas dois casos confirmados de sarampo em Mato Grosso do Sul, as notificações da doença de janeiro até setembro, já superam as de 2018. Das 58 suspeitas registradas nos últimos nove meses, 30 foram descartadas pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). No ano anterior, foram 54 suspeitas sendo que todas foram descartadas.

Conforme a vigilância epidemiológica do Estado, 26 suspeitas ainda são investigadas. Os dois casos confirmados são de dois sul-mato-grossenses que estivem em outros estados na ocasião de contato com o vírus Measles morbillivirus, responsável por transmitir a doença. Em relação à semana passada, houve aumento de oito notificações e de duas investigações.

São vítimas da doença um paciente de 52 anos, morador de Três Lagoas, e uma criança de apenas 10 meses, de Campo Grande. O primeiro, no seu período de transmissibilidade, estava no estado de Guararema (SP).

Já a criança visitou familiares na capital paulista de 01 a 05 de agosto e começou a apresentar sintomas dia 16 de agosto. Foi ao Hospital São Lucas no dia 19 de agosto onde houve a suspeita de sarampo. “Ressaltamos que todas as ações de investigação e bloqueio foram feitas, principalmente nos funcionários do Hospital São Lucas e nos contatos que estavam no hospital para atendimento”, afirma a SES.

A Capital é responsável pelo maior número de notificações. São 26 registros, sendo 12 descartados e 13 ainda em investigação. Água Clara e Aquidauana registraram quatro notificações cada um. No primeiro município, um caso é investigado e no segundo três ainda passam por verificação.

Diante das confirmações da doença no Estado, o Ministério da Saúde classificou a situação como de surto ativo.

Vacinação - A única forma de prevenir a doença é a vacinação. Na rede pública, o foco são as crianças de seis meses até dois anos incompletos.

A dose zero da vacina contra sarampo para bebês entre seis meses e 11 meses e 29 dias é aliada ao calendário de rotina para imunização contra a doença. Além dela, existe a dose um (tríplice viral), para crianças a partir de 12 meses e a dose dois (tetraviral), para indivíduos de 15 meses.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions