ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Integrantes de bando que fez “arrastão” em aeroclube estão em banco de digitais

Impressões dos dedos encontradas casa usada como base da quadrilha e locou do roubo ajudaram na identificação

Por Anahi Zurutuza | 06/09/2021 18:39
Casa onde criminosos estavam "hospedados" foi deixada bastante bagunçada (Foto: O Pantaneiro/Reprodução)
Casa onde criminosos estavam "hospedados" foi deixada bastante bagunçada (Foto: O Pantaneiro/Reprodução)

Já subiu para quatro o número de integrantes da quadrilha responsável por “arrastão” no Aeroclube de Aquidauana identificados. A informação foi dada pela delegada Ana Cláudia Medina, chefe do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) e responsável pelas investigações, em entrevista ao vivo para o site O Pantaneiro.

Mais cedo, o delegado Jackson Frederico Vale, titular da 1ª DP (Delegacia de Polícia) de Aquidauana – cidade a 135 km de Campo Grande – havia falado em três identificações.

Delegada Ana Cláudia Medina em entrevista ao vivo (Foto: O Pantaneiro/Reprodução)
Delegada Ana Cláudia Medina em entrevista ao vivo (Foto: O Pantaneiro/Reprodução)

A delegada explicou marcas de digitais encontradas casa usada como base da organização criminosa em Anastácio e no local do roubo de três aeronaves bateram com as impressões cadastradas em banco da Polícia Civil – ou seja, são reincidentes. “Já temos digitais que já foram confirmadas tanto aqui quando no local dos fatos. São pelo menos 4 identificações e 8 pessoa colocadas na cena criminosa”, detalhou.

Ainda de acordo com Ana Cláudia Medina, o líder do bando é foragido do sistema penitenciário estadual, criminoso considerado perigoso e tem passagens por crimes semelhantes.

A casa usada pela quadrilha fica na Rua Murilo Benício Mendes, na região central de Anastácio. Segundo o Rhobson Lima, na transmissão ao vivo do portal O Pantaneiro, a rua é conhecida, por dar acesso ao Rio Aquidauana.

A residência foi deixada bem bagunçada pelos criminosos. Roupas e sapatos estavam espalhados pelo chão, havia louça suja na cozinha. Em cima da pia, várias latas de cerveja e no balcão, uma garrafa de água para tereré.

Além do líder, a mulher dele e o dono do imóvel fizeram parte do plano de roubo das aeronaves, segundo apurado pela polícia.

Casa usada como base para quadrilha fica na região central de Anastácio (Foto: O Pantaneiro/Reprodução)
Casa usada como base para quadrilha fica na região central de Anastácio (Foto: O Pantaneiro/Reprodução)

A delegada destacou que em menos de 12 horas após o crime, a base da organização criminosa foi localizadas e do local, após a perícia, serão levados pertences dos criminosos considerados relevantes para a investigação, além de material usado na ação, que também foi deixado para trás.

Por fim, Ana Cláudia Medina afirma que a investigação já sabe do paradeiro dos aviões, fora do Brasil, mas disse que a informação, por enquanto, será mantida em sigilo.

Aeronave estacionada em Aeroclube de Aquidauana (Foto: Divulgação)
Aeronave estacionada em Aeroclube de Aquidauana (Foto: Divulgação)

O roubo – Os ladrões agiram em bando. Conforme apurado pelo Campo Grande News, 18 homens invadiram o aeroclube, na madrugada desta segunda-feira (6), e embarcaram nas aeronaves com vários pacotes. Não foi possível especificar o que havia nos volumes.

A tentativa foi de levar cinco aeronaves, mas só foi possível decolar com três delas. Os bandidos abasteceram os aviões e partiram mesmo com a pista sem iluminação. Para isso, o caseiro do aeroclube local e dois filhos foram amarrados. Os aviões levados foram uma Bonanza, modelo V35B, e duas Cessna, modelo 182.

A Bonanza opera sobre o prefixo PT-ING e está em nome de Zelito Alves Ribeiro e de Joel Sanches Jacques. Zelito é irmão do atual prefeito de Aquidauana, Odilon Ribeiro (PSDB), e primo do deputado estadual Felipe Orro (PSDB).

Já um dos aviões Cessna pertence a Liliane Paschoaletto Trindade, esposa do ex-prefeito de Aquidauana, José Henrique Trindade - que é irmão do atual chefe do Detran-MS, Rudel Trindade. A aeronave tem o prefixo PT-KDI.

Por fim, a segunda Cessna opera com a matrícula PT-DST e pertence ao cantor, ator e pecuarista Almir Sater. Diferente dos outros três aviões, a permissão de voo dessa aeronave está suspenso.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário