ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, QUINTA  04    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Médico que já atendeu mais de 100 pacientes graves será o 1º imunizado

Imunização será no fim desta tarde, como parte do início da campanha contra o novo coronavírus em MS

Por Marta Ferreira | 18/01/2021 12:53
Leito de UTI no Hospital Regional, onde atua médico que será vacinado nesta tarde, em ato simbólico. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Leito de UTI no Hospital Regional, onde atua médico que será vacinado nesta tarde, em ato simbólico. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Depois de atender uma centena de pacientes graves, o médico Márcio Estevão Midom, de 43 anos, será o primeiro profissional da linha de frente a receber a vacina contra a covid-19. Ele trabalha no Hospital Regional em Campo Grande, estabelecimento que é referência para o tratamento da doença.

No HR, já foram tratadas mais de 3,7 mil pessoas infectadas pela covid-19. Desde o início da pandemia, 740 mortes pela doença ocorreram no estabelecimento.

 Parte da equipe que cuidou das pessoas, Marcio Estevão Midom, é médico formado pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul em 2006. Em sua trajetória, o Hospital Regional foi local da residência médica em clínica médica e também de nefrologia.

 Desde 2010, é concursado do hospital. Midom, no atendimento a mais de 100 pacientes graves que necessitaram de ventilação mecânica, viu a angustia dos pacientes e familiares, conforme descrito pela assessoria de imprensa do hospital.

 Para ele, a vacina foi traduzida “como um raio de esperança a todos os brasileiros”.

Casado, o médico é pai de João Pedro, de 4 anos.

 A aplicação das primeiras doses está marcada para as 17h. O ato simbólico no HRMS terá uma idosa do Asilo São João Bosco, o médico e um índio.

Os três a serem vacinados representam o público prioritário beneficiado com a primeira leva do imunizante CoronaVac. O Estado está recebendo 158 mil doses do Ministério da Saúde, que anunciou ontem o início da distribuição do antígeno, horas após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovar o produto.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário