ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Ministério compra, mas sedativos não chegam ao estoque dos hospitais de MS

MS ainda não está na lista de contemplados, apesar de a Santa Casa e do Hospital Regional apresentarem pouco estoque

Por Maressa Mendonça | 30/06/2020 15:37
Fachada da Santa Casa de Campo Grande, maior hospital de Mato Grosso do Sul (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Fachada da Santa Casa de Campo Grande, maior hospital de Mato Grosso do Sul (Foto: Arquivo/Campo Grande News)


O Ministério da Saúde começou a intermediar a compra de anestésicos e relaxantes musculares para distribuição entre os estados e municípios. Mato Grosso do Sul ainda não aparece na lista dos beneficiados, apesar de ter hospitais com pouco estoque dos produtos considerados essenciais no tratamento de pacientes com a covid-19.

Na última semana, o Campo Grande News publicou uma reportagem indicando a possibilidade de falta desses medicamentos tanto no Hospital Regional quanto na Santa Casa, em Campo Grande.  Os anestésicos e relaxantes musculares são usados para ventilar pacientes de covid e outros doentes.

Os hospitais em todo país estão enfrentando dificuldades para comprar os medicamentos. Isto acontece tanto porque a produção foi reduzida durante esse período de pandemia do coronavírus quanto pela dificuldade em movimentar  a matéria prima usada na fabricação. A maior parte dela vem da China e da Índia.

No último dia 18, o Governo Federal anunciou que estava preparando uma licitação para realizar esta compra, atendendo um pedido das secretarias municipais e estaduais de Saúde que já indicavam a possibilidade de desabastecimento, especialmente porque o número de infectados pelo novo vírus não para de crescer.

O Ministério ressaltou à época que não ficaria responsável pelas compras, que são de responsabilidade dos estados e municípios, mas participaria da licitação para agilizar a entrega dos medicamentos.

Na segunda-feira (29), eles anunciaram o início do processo da compra de urgência e também fizeram uma requisição para abastecimento imediato dos estados e municípios.

Ao todo foram distribuídas 185 mil unidades desses anestésicos e relaxantes musculares para os estados do Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Norte e São Paulo.

O Ministério da Saúde também definiu a abertura de uma licitação na modalidade pregão em que os estados e as capitais poderão aderir como co-participantes, garantindo a compra por valor reduzido.

Estes medicamentos serão enviados para o almoxarifado do Ministério de Saúde em São Paulo para posterior distribuição entre estados e municípios.