ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  10    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

Ministério Público pede providências contra "revista desumana" em presídios

MP recomenda que sejam adotados procedimentos menos invasivos durante as revistas

Por Jhefferson Gamarra | 16/04/2021 18:44
Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) em Campo Grande (Foto: Paulo Francis/Arquivo)
Instituto Penal de Campo Grande (IPCG) em Campo Grande (Foto: Paulo Francis/Arquivo)

O Ministério Púlbico de Mato Grosso do Sul pediu providência da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul, para o fim de revistas consideradas "vexatória, desumana ou degradante” em presídios estaduais.

O pedido assinado pela promotora Jiskia Sandri Trentin, titular da 50ª Promotoria de Justiça da Capital, tem como base a resolução nº 05/2014 do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, que recomenda a não utilização de práticas vexatórias para o controle de ingresso aos locais de privação de liberdade.

Na recomendação, a promotora argumenta que levou em conta uma denúncia registrada na ouvidoria do Ministério Público, onde a visitante de um interno do Instituto Penal de Campo Grande (IPCG), teria sido vítima de humilhações e constrangimentos por agentes penitenciários, ao ser acusada de portar drogas em suas partes íntimas, mesmo após ter passado pelos procedimentos de rotina de vistoria.

“Que a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário adote providências no sentido de orientar os servidores penitenciários a se absterem de realizar a revista pessoal de forma vexatória, desumana ou degradante”, determinou a promotora através requerimento.

A resolução com as orientações para autoridades penitenciárias visa acabar com os procedimentos de revista vedados pelo Conselho Nacional, como: o desnudamento total ou parcial; a introdução de objetos nas cavidades corporais da pessoa revistada; o uso de cães ou animais farejadores, ainda que treinados para esse fim; e a realização de agachamentos, saltos ou flexões ou a submissão do revistado ao toque íntimo para ingressar em qualquer estabelecimento prisional.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário