ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUINTA  30    CAMPO GRANDE 15º

Cidades

MS pode começar a vacinar crianças com Coronavac a partir de 2ª

Patente cumpre critérios de segurança e eficácia contra covid, mas Estado aguarda aval do Ministério da Saúde

Por Guilherme Correia | 21/01/2022 09:45
Vacinadora exibe ampola de imunizante da Coronavac; patente já é usada no País desde o início da vacinação. (Foto: Marcos Maluf)
Vacinadora exibe ampola de imunizante da Coronavac; patente já é usada no País desde o início da vacinação. (Foto: Marcos Maluf)

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, comenta que os imunizantes da Coronavac podem ser integrados no calendário vacinal contra a covid-19 a partir da próxima segunda-feira (23), em Mato Grosso do Sul.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) liberou a aplicação de tais doses em crianças e adolescentes, de seis a 17 anos, mas o Ministério da Saúde ainda deverá organizar o uso desta patente em larga escala no Brasil.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a pasta deve incorporar a Coronavac à campanha de vacinação desta faixa etária contra o coronavírus e planeja fazer o anúncio ainda nesta sexta-feira (21).

O governo de São Paulo já iniciou vacinação deste público, mas outras unidades federativas, como o Distrito Federal, também aguardam aval do Ministério.

Segundo dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde), há cerca de 32,1 mil doses da vacina sino-brasileira em estoque no Estado - o cálculo considera a diferença entre imunizantes enviados e aplicados.

O fármaco é produzido em território brasileiro pelo Instituto Butantan, centro de pesquisa vinculado ao estado paulista, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech.

O secretário explica que este imunizante é seguro e eficaz para prevenir casos graves de coronavírus em todas as faixas etárias. “Tem uma experiência de aplicação em vários países do mundo, seja em países da América do Sul e da China. Milhões de crianças tomaram essa vacina, sem efeito colateral importante e com segurança.”

Ele ressalta que a pasta federal tem de definir o número de doses a cada estado brasileiro, bem como os demais critérios. “Precisa ser implementada pelo Ministério da Saúde e estamos aguardando nota técnica e a remessa da vacina para iniciar a imunização.”

“O Ministério ficou de recolher hoje a informação de cada estado. Há estados que têm quantitativo grande de vacinas e há estados, como nós, que têm pouco. Mato Grosso do Sul foi criterioso na solicitação de vacinas, para que não fossem desperdiçadas, e agora temos uma quantidade pequena. Vamos fazer um levantamento hoje para pedir mais.”

Liberação - A decisão da Anvisa foi tomada na quinta-feira (20), com voto favorável dos cinco diretores que compunham reunião extraordinária, incluindo o diretor-presidente da agência, Antônio Barra Torres.

Os imunizantes da Pfizer foram aprovados a crianças em 16 de dezembro do ano passado pelo órgão de regulação, mas só foram incluídos no PNI (Plano Nacional de Imunizações) quase um mês depois, quando as doses foram adquiridas pela União.

Atualmente, o País vacina crianças de 12 a 17 anos com doses da Pfizer, as mesmas de adultos, e as de cinco a 11 anos com imunizantes pediátricos da mesma patente, mas com dosagem diferente.

A ampliação da Coronavac abrange crianças e adolescentes com idade entre seis e 17 anos, com exceção das que têm imunodeficiência (baixa imunidade).

O público desta faixa etária que tenha comorbidades poderá receber a vacina, que será aplicada em duas doses, com intervalo de 28 dias. A dosagem é a mesma utilizada em adultos, sem nenhum tipo de adaptação para uma versão pediátrica.

Mato Grosso do Sul tem aproximadamente 301 mil crianças entre cinco a 11 anos, sendo que quase 11,4 mil receberam primeira dose nos últimos dias. O Estado recebeu cerca de 36,6 mil doses no início dos repasses.

Nos siga no Google Notícias