ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 33º

Cidades

MS se aproxima de 1,5 mil mortos por covid, mas tem menor média desde julho

Por Guilherme Correia | 19/10/2020 11:25
Enterro sendo realizado seguindo normas de biossegurança impostas pela covid-19 (Foto: Arquivo/Kisie Ainoã)
Enterro sendo realizado seguindo normas de biossegurança impostas pela covid-19 (Foto: Arquivo/Kisie Ainoã)

Com 367 novos infectados pela covid-19 em Mato Grosso do Sul, já são 77.490 casos confirmados da doença desde o início da pandemia. O Estado também registrou, nas últimas 24h, quatro óbitos - o que indica média móvel de 8,14 mortes diárias nos últimos sete dias, menor registro desde 17 de julho.

Apesar disso, durante boletim epidemiológico do novo coronavírus, o secretário Estadual de Saúde, Geraldo Resende, falou sobre a possibilidade de que o Estado seja atingido por uma "segunda onda", como tem acontecido agora em países europeus. "Poderemos ter uma nova onda daqui alguns dias ou meses", disse durante live.

"Felizmente, com número menor de óbitos, talvez pelo aprendizado e talvez também pela doença se apresentar em faixas etárias mais jovens, que têm maior resistência e o grau de letalidade é maior", explicou Resende sobre a possibilidade de um retorno da doença no futuro.

A taxa de contágio, índice que estima quantidade de pessoas infectadas no dia seguinte pelo vírus, reduziu para 0.94 - para cada 100 casos confirmados hoje, 94 pacientes serão infectados no dia seguinte.

O objetivo, segundo ele, é que o número caia ainda mais, para 0.8. O titular da SES (Secretaria Estadual de Saúde) diz que para que isso aconteça, é essencial a participação da população, que para ele, tem sido "muito frágil".

Há aglomerações gigantescas. As pessoas voltaram como se tudo tivesse sendo normal, como se a doença não estivesse em nosso meio. A gente sabe que o vírus ainda está presente, mesmo que o número de contágio tenha caído", diz.

Tal como países asiáticos, segundo Resende, é necessário que a população siga medidas como o uso da máscara independente da covid-19. Ele menciona que o uso das mesmas reduziu infectados por diversas outras gripes, até mesmo a influenza. "Tivemos muitas mortes evitadas pelo uso da máscara [...] em países do oriente, pessoas usam máscara quando estão com alguma síndrome gripal para evitar contaminação dos outros. Isso é empatia. Se colocar no lugar do outro".

Boletim epidemiológico - No dia seguinte à data que celebra os médicos, 18 de outubro, Geraldo Resende homenageou profissionais de saúde que se foram em decorrência da covid-19 ao citar que, no Brasil e no Estado, há uma "tendência de queda" da doença.

As mortes registradas em 24h foram em Corumbá (2), de dois pacientes de 86 e 85 anos; em Naviraí, paciente de 81 anos, e em Campo Grande, com vítima de 74 anos.

Aproximadamente 95% dos casos confirmados já se recuperaram da doença no Estado, são 72.049 pessoas. Por fim, 344 pacientes se encontram hospitalizados em leitos clínicos ou de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em virtude da doença.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário