ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

Municípios poderão coparticipar em 10 mil novas vagas do Mais Médicos

Anúncio foi oficializado no Diário Oficial da União; prioridade será para municípios de maior vulnerabidade

Gustavo Bonotto, com informações da Agência Brasil | 19/06/2023 20:17
Jaleco com a logomarca do programa Mais Médicos. (Foto: Reprodução/Ministério da Saúde)
Jaleco com a logomarca do programa Mais Médicos. (Foto: Reprodução/Ministério da Saúde)

Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, anunciou que irá ampliar o programa Mais Médicos com 10 mil novas vagas na modalidade de coparticipação entre estados e municípios durante a tarde desta segunda-feira (19).

Vale ressaltar que, na primeira etapa do programa, 1.097 médicos residentes em Mato Grosso do Sul se inscreveram para 52 vagas ofertadas, recorde desde o início do programa, em 2013.

O edital com as orientações para a inscrição dos profissionais já foi publicado no Diário Oficial da União. Já a portaria com as definições e critérios para os gestores locais deve ser publicada ainda hoje.Campo Grande News - Conteúdo de VerdadeCampo Grande News - Conteúdo de Verdade

Segundo o Ministério da Saúde, com a expansão, o programa deverá chegar a mais de 15 mil novas vagas até o fim deste ano.

Até o dia 27 deste mês, os 5.570 municípios brasileiros poderão solicitar vagas na modalidade de coparticipação, mas a prioridade será para aqueles de maior vulnerabilidade social e de vazios assistenciais [regiões onde é mais difícil encontrar profissionais].

No modelo de coparticipação, o Ministério da Saúde desconta do repasse do piso de atenção primária à saúde o valor de custeio mensal da bolsa-formação dos médicos. Já os gestores locais continuam com a responsabilidade do pagamento do auxílio-moradia e da alimentação. As demais despesas do programa ficam a cargo do ministério.

De acordo com a pasta, terão preferência médicos brasileiros formados no Brasil. E o médico que participar do programa poderá fazer especialização e mestrado em até quatro anos. Os profissionais também passarão a receber benefícios, proporcionais ao valor mensal da bolsa, para trabalhar nas periferias e regiões mais remotas.

Os beneficiados pelo Fies (Financiamento ao Estudante do Ensino Superior) que participarem do programa também poderão receber incentivos que variam entre R$ 238 mil a R$ 475 mil, dependendo da vulnerabilidade do município e da permanência no programa por 48 meses. Assim, o profissional poderá ter auxílio para o pagamento de até 80% do financiamento.

A pasta diz ainda que pretende incentivar a permanência de médicas no programa, com uma compensação para atingir o mesmo valor da bolsa durante o período de seis meses de licença maternidade, complementando o auxílio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Informações sobre o cronograma do edital podem ser consultadas no site do Mais Médicos.

Nos siga no Google Notícias