ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 25º

Cidades

Todas as 52 vagas do Mais Médicos para MS são preenchidas

Campo Grande e Nova Andradina foram as duas cidades contempladas com maior número de profissionais

Lucia Morel | 10/06/2023 16:37
Médico com estetoscópio em mãos. (Foto: Agência Brasil)
Médico com estetoscópio em mãos. (Foto: Agência Brasil)

Todas as 52 vagas do programa Mais Médicos para Mato Grosso do Sul foram preenchidas conforme resultado preliminar. Dessas, oito vagas são em Campo Grande. Conforme previsto no cronograma do edital do programa, a próxima fase é a apresentação de recurso pelo candidato que discordar do resultado preliminar, até segunda-feira (12).

A lista preliminar indica ainda seis profissionais para Ponta Porã, quatro para Nova Andradina, e dois para cada uma das seguintes cidades: Bonito, Dois Irmãos do Buriti, Dourados, Mundo Novo, Nioaque, Rio Verde de Mato Grosso e Sete Quedas.

Os demais municípios participantes terão um médico cada um: Alcinópolis, Angélica, Antônio João, Aquidauana, Bela Vista, Brasilândia, Caarapó, Cassilândia, Coronel Sapucaia, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Figueirão, Itaporã, Itaquiraí, Jardim, Ladário, Miranda, Paranhos, Pedro Gomes e Porto Murtinho.

Neste ano, o edital do programa oferece 5.970 vagas distribuídas em 1.994 municípios. Do total de vagas, mil são inéditas para a Amazônia Legal. O objetivo é recompor vagas ociosas dos últimos quatro anos. Cerca de 45% delas estão em regiões de vulnerabilidade social, de difícil acesso e que historicamente sofrem com a falta de médicos.Campo Grande News - Conteúdo de VerdadeCampo Grande News - Conteúdo de Verdade

O resultado preliminar divulgado mostra que 84,7% dos alocados são médicos brasileiros formados no país, enquanto 15,3% brasileiros com diploma de medicina emitidos no exterior.

Para a classificação dos médicos, o programa do governo federal considera o currículo do candidato, como formação, titulação e experiência profissional.

Serão considerados para pontuação os seguintes critérios: residência médica em medicina da família e comunidade, concluída e reconhecida; título de especialista em medicina de família e comunidade, conferido pela Sociedade Brasileira de Medicina da Família e Comunidade (SBMFC); especialização em saúde da família ofertada pelo Sistema de Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS); entre outros.

Desde o lançamento do edital, o ministério informou que os médicos brasileiros registrados no Brasil têm prioridade na seleção.

Nos siga no Google Notícias