ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  12    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

Total de recuperados da covid-19 cresce 8 vezes em um mês

Dos 8.676 positivos em Mato Grosso do Sul, 4.665 são considerados curados

Por Anahi Zurutuza | 01/07/2020 20:08
Sabrina de Oliveira, de 22 anos, passou 11 dias internada na UTI do Hospital Regional de Ponta Porã, mas conseguiu vencer a covid-19 (Foto: Governo de MS/Divulgação)
Sabrina de Oliveira, de 22 anos, passou 11 dias internada na UTI do Hospital Regional de Ponta Porã, mas conseguiu vencer a covid-19 (Foto: Governo de MS/Divulgação)

Não só o número de confirmações cresce exponencialmente em Mato Grosso do Sul, mas também o de pessoas recuperadas.

Dos 8.676 infectados no Estado até agora, conforme boletim divulgado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde), 4.665 estão recuperados – 739 a mais que o total de casos ainda ativos e mais da metade da soma de positivos. Veja:

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O número de recuperados nesta quarta-feira (1º) também é 8 vezes maior que o de um mês atrás, quando havia 532 consideradas curadas. No dia 1º de maio, era 153 “livres” do vírus e em 1º de abril, 27.

Enquanto a quantidade de pessoas curadas aumentou 8 vezes entre 1º de junho e hoje, a quantidade de novos casos confirmados subiu 5 vezes – eram 1.568 positivos há um mês. Veja o gráfico:

Uma das vitórias contra a covid-19 foi registradas ontem (30), no Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, em Ponta Porã. Sabrina de Oliveira, de 22 anos, passou 11 dias internada em UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Mesmo sem comorbidades e doenças pré-existentes, ela chegou à unidade com tosse, falta de ar e rapidamente evoluiu para a forma mais grave da covid-19. “Foram dias extremamente difíceis na UTI, mas consegui vencer. Agradeço a todos os médicos e enfermeiros que foram anjos na minha vida e auxiliaram na minha recuperação. Pensei que não pegaria a doença por ser jovem, mas o vírus não escolhe pessoa ou idade. Previnam-se sempre que possível”, a jovem deixa o alerta.

Fatal – Apesar do alto percentual de pessoas que já podem se considerar sobreviventes, 53% do total de confirmados, a evolução na quantidade de mortes impressiona. Em 1º de abril, eram 0, passaram a ser 9 no primeiro dia de maio, 20 em junho e 85 hoje. Neste último mês, o aumento é de 325%.