ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 32º

Cidades

PF ouviu deputado federal e instaurou inquérito para investigar atentado

Ataque a tiros foi comunicado pelo parlamentar do PSL de Mato Grosso do Sul em rede social

Por Anahi Zurutuza e Jones Mário | 16/02/2020 12:06
Sede da Superintendência da PF em Campo Grande, onde deputado prestou depoimento (Foto: Marcos Maluf)
Sede da Superintendência da PF em Campo Grande, onde deputado prestou depoimento (Foto: Marcos Maluf)

Em breve nota, divulgada no fim da manhã deste domingo (16), a Polícia Federal informou que já colheu os depoimentos do deputado federal Loester Carlos Gomes de Souza (PSL-MS) e do motorista dele sobre suposto atentado que sofreu na BR-060, a caminho de Sidrolândia – cidade a 71 km de Campo Grande. A PF informou ainda que instaurou inquérito para investigar as circunstâncias do ataque a tiros que o legislador comunicou ter sofrido por meio de rede social.

“O parlamentar e seu motorista não foram atingidos pelos disparos”, diz o texto da PF, que, também por meio da assessoria de imprensa, divulgou que nada mais detalhará sobre o caso.

Imagem publicada pelo parlamentar mostra carro com marcas de tiros (Foto: Facebook/Reprodução)
Imagem publicada pelo parlamentar mostra carro com marcas de tiros (Foto: Facebook/Reprodução)

O ataque - Na manhã deste domingo (16), mensagem escrita em terceira pessoa e publicada no Facebook do deputado federal relata que “ele e sua equipe sofreram atentado”. O parlamentar alega ser vítima de emboscada e garante que revidou o ataque.

“O carro em que estavam foi alvejado por, no mínimo, 5 disparos”, diz o comunicado. A imagem anexada à postagem mostra um carro Toyota Corolla preto com vidros estilhaçados e marcas de bala.

“O deputado conseguiu revidar o ataque. Apesar da emboscada, todos estão bem e sem ferimentos”, continua comunicado.

O texto narra ainda que Loester Carlos acionou o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais). Ao Campo Grande News, o tenente-coronel Wilmar Fernandes, comandante do Bope, confirmou a informação. “Ligou para nós e orientamos que estacionasse em local seguro. Aí o acompanhamos até a delegacia da Polícia Federal”.

Segundo Fernandes, o parlamentar contou que um carro emparelhou com o veículo onde estava e atirou. O parlamentar do PSL disse não saber quem são os autores e relatou ao Bope que revidou.

De volta à nota, o texto informa que compromissos do parlamentar previstos para hoje foram desmarcados. Ainda pelo Facebook, Loster Carlos divulgou em outro post que esteve em Dourados, Douradina, Rio Brilhante e Nova Alvorada do Sul ontem e que hoje, faria o "Tereré com o Trutis" em Sidrolândia e Maracaju.

A reportagem tentou pelo menos uma dezena de vezes contato com o deputado, por telefone, mas não houve retorno até a publicação desta matéria.

Armamentista - Em seus perfis no Instagram e Facebook, Loester Carlos se define como “armamentista”. Ele fala abertamente sobre o tema e compõe a Frente Parlamentar Armamentista na Câmara.

O deputado é, inclusive, um CAC (Colecionador, Atirador e Caçador). Em recente entrevista ao podcast “Do lado direito do peito”, do jornal Folha de S. Paulo, disse ter nove armas em sua coleção - limite imposto pela legislação -, uma longa, calibre 12, e mais oito pistolas.