ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 16º

Cidades

Saúde autoriza que paciente compre medicamento após decisão judicial

Secretaria vai depositar em conta valor para que cidadão custeie tratamento para agilizar regulação

Por Adriel Mattos | 23/05/2022 10:40
Edifício-sede da Secretaria de Estado de Saúde, no Parque dos Poderes. (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Edifício-sede da Secretaria de Estado de Saúde, no Parque dos Poderes. (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)

A SES-MS (Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul) passará a autorizar que pacientes que tenham obtido acesso a medicamentos, produtos ou serviços por decisão judicial façam a compra diretamente. A resolução foi publicada na edição desta segunda-feira (23) do DOE (Diário Oficial Eletrônico).

Dessa forma, o Estado efetuará depósito judicial na conta do paciente ou seu responsável legal para comprar o medicamento ou custear tratamento pelo período de 180 dias (cerca de seis meses), desde que a despesa não ultrapasse R$ 8 mil.

No caso de pacientes que fazem uso do canabidiol ou de produtos nutricionais, a SES não fixou limite de despesa. O valor a ser depositado seguirá a Tabela CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos), sendo considerado o de menor valor.

Assim, o fluxo fica da seguinte forma: a secretaria é notificada da sentença, prepara o pagamento e o efetua. Em seguida, o paciente deve informar à PGE (Procuradoria-Geral do Estado), que por sua vez, formaliza que a decisão está sendo cumprida.

Na publicação, o titular da pasta, Flávio Britto, leva em conta o grande número de ações solicitando produtos e serviços considerados de baixo valor, o que leva a um alto volume de procedimentos na SES para atender as decisões da Justiça.

Outra dificuldade está no fornecimento de produtos nutricionais, quando há mudanças no estado do paciente e a consequente alteração na receita médica. Por fim, o secretário observa que a pasta vem sendo punida por não conseguir atender todas as demandas em tempo hábil.

Nos siga no Google Notícias