ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 19º

Cidades

Secretário irá a Brasília discutir com Moro fuga em massa de presos

Antônio Videira já tinha reunião prevista do Colégio de Secretários e pretende discutir fuga dos presos com Sérgio Moro

Por Silvia Frias e Jones Mário | 20/01/2020 12:22
Secretário disse que a preocupação é que foragidos brasileiros tentem retornar aos estados de origem (Foto/Arquivo: Paulo Francis)
Secretário disse que a preocupação é que foragidos brasileiros tentem retornar aos estados de origem (Foto/Arquivo: Paulo Francis)

O secretário de Justiça e Segurança Pública de MS, Antônio Carlos Videira, estará em Brasília amanhã (21) e pretende discutir com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, a fuga em massa de presos de 73 integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) de presídio em Pedro Juan Caballero, ocorrida no domingo (19).

Videira já tinha viagem programada para participar da reunião regular do Consesp (Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública) e irá aproveitar a passagem por Brasília para discutir com Moro o assunto, especificamente.

A fuga dos presos de Pedro Juan Caballero foi discutida esta manhã em reunião entre Videira e o governador do Estado, Reinaldo AzambujaO secretário diz que a grande preocupação é que os presos brasileiros atravessem a fronteira com intenção de voltar aos estados de origem: São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Paraná.

Em Mato Grosso do Sul, foram mobilizados 200 integrantes das forças de segurança, sendo equipes das polícias Civil e Militar, DOF (Departamento de Operações de Fronteira), PMR (Polícia Militar Rodoviária), Bope (Batalhão de Operações Especiais), Choque, Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) e Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos).

O secretário disse que discutiu com o governador esse reforço na fronteira, com envio de policiais de Campo Grande. Videira explicou que o encaminhamento foi feito de forma que desfalque a vigilância e fiscalização na capital. 

Apoioaté agora, o governo federal designou integrantes da Força Nacional, que já estavam em Caarapó e Dourados para auxiliar nas buscas dos foragidos que eventualmente tenham passado a fronteira para o lado brasileiro. Videira citou como exemplo a fiscalização em aldeia de Caarapó, cortada por estrada de acesso do Paraguai ao território brasileiro.

Também foram deslocados integrantes da PRF (Polícia Rodoviária Federal), PF (Polícia Federal), por meio do NOI (Núcleo de Operações de Inteligência). Para Videira, isso já seria “um grande apoio, mas pode ser robustecido”.

Desde a fuga, um foragido foi recapturado: o brasileiro Luís Alves da Cruz, que usava documento falso em nome de Eduardo Alves da Cunha. Ele foi detido por policiais do DOF hoje de manhã, no Assentamento Itamarati, a 49 quilômetros de Ponta Porã.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário