ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUARTA  01    CAMPO GRANDE 33º

Cidades

Sob suspeita de coronavírus, volta às aulas é preocupação em Ponta Porã

Jovem de 24 anos está internado depois de apresentar sintomas na volta de viagem à Tailândia e à China

Por Marta Ferreira | 26/02/2020 16:27
O prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo (PSDB), diz estar tranquilo de que caso de novo coronavírus será descartado. (Foto: Arquivo)
O prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo (PSDB), diz estar tranquilo de que caso de novo coronavírus será descartado. (Foto: Arquivo)

Na véspera da volta às aulas na rede pública, a prefeitura de Ponta Porã, cidade fronteiriça ao Paraguai de 75,9 mil habitantes, tem uma preocupação a mais: reforçar hábitos de higiente na comunidade escolar, como forma de precaução em relação ao novo coronavírus. Mesmo sem a confirmação de que um morador da cidade, de 24 anos, está com a doença, depois de viagem à Tailândia e à China, o prefeito Hélio Peluffo (PSDB), informou que foi dada essa orientação para o reinício do ano letivo, nesta quinta-feira (27).

De acordo com ele, são 14 mil estudantes na rede pública municipal e mais 2 mil trabalhadores, entre professores e ocupantes de outras funções. “Orientações sobre higiene já são dadas rotineiramente, mas vamos reforçar”, declarou.

Peluffo disse ao Campo Grande News ter sido comunicado antes das 8h desta quarta-feira sobre a internação na cidade do paciente, de 24 anos, que fez viagem de duas semanas à Tailândia, com duas passagens pela China, na ida e na volta, e ainda na Alemanha. Ele teria passado mal, sentido inicialmente dor na garganta, já no avião para São Paulo, junto com dois amigos com quem viajou. No Brasil, veio de carro até Ponta Porã.

"Não vai ser" – O prefeito disse ter se reunido logo ao saber da informação com a equipe da área da saúde e também conversado com o secretário estadual, Geralzo Rezende. Ele disse estar tranquilo, diante dos dados recebidos, de que o caso se trata de uma gripe e não do vírus que está se propagando pelo mundo a partir da China.

Segundo Peluffo, os sintomas apresentados pelo paciente são leves e a tendência é de que ele receba alta e fique em quarentena, em casa, durante 14 dias. As pessoas que tiveram contato com ele também vão avaliadas pelas equipes de saúde.

Em mensagem atribuída ao rapaz que circula nas redes sociais, cujo conteúdo foi confirmado pelo prefeito, ele afirma que os primeiros exames descartaram a doença.