ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEXTA  27    CAMPO GRANDE 21º

Cidades

Transporte de vacinas atrasa e secretário de Saúde considera um “desserviço”

Mudança de empresa logística do Ministério da Saúde deixa vacinas sem escolta e atrasa imunização no Estado

Por Gabriela Couto, Mirian Machado e Guilherme Correia | 18/01/2022 11:26
Secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, retornou aos trabalhos após uma semana isolado com covid. (Foto: Henrique Kawaminami)
Secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, retornou aos trabalhos após uma semana isolado com covid. (Foto: Henrique Kawaminami)

“Não é a primeira vez. É a segunda vez”, disse o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, inconformado com o novo atraso no transporte de vacinas que chegaram no Aeroporto Internacional de Campo Grande às 7h30 e só foram entregues na Central de Frios da pasta às 9h36.

“Essa mudança da empresa de logística que entrega as vacinas prejudicou todos os estados. Aqui, a primeira vez, nós superamos, conseguimos contornar. Mas hoje, as vacinas chegaram às 7h30 e foram dispensadas na central às 9h36. Foram duas horas da gente lutando bravamente para que elas pudessem chegar e pudessem ser distribuídas”, explicou.

No local, estavam motoristas de cidades do interior que aguardavam as remessas desde às 2h. “Esse atraso, logicamente, prejudica muito a imunização. Já manifestamos ao Ministério da Saúde, através da doutora Rosana Leite, nosso inconformismo com essa situação e esperamos que dê solução para que nas próximas remessas não aconteça o que aconteceu hoje.”

motoristas aguardam a vez com seus material de transporte para carregamento. (Foto: Henrique Kawaminami)
motoristas aguardam a vez com seus material de transporte para carregamento. (Foto: Henrique Kawaminami)

A desculpa pelo o atraso desta terça-feira (18), segundo Resende, foi a falta de escolta das doses do Aeroporto até a Central de Frios. “Eu não sei o que levou a mudança das empresas da distribuição das vacinas para todos os estados. A empresa anterior vinha cumprindo religiosamente e, inclusive, liberava as vacinas na própria pista do Aeroporto e imediatamente trazíamos aqui na Central de Frios e distribuímos para os 79 municípios do Estado. Essa nova empresa cria novas dificuldades. A justificativa que não entregou as vacinas no horário adequado é por falta de escolta. Isso é inconcebível. Atrasa o processo de imunização, prejudica as nossas crianças e me parece um desserviço ao processo de vacinação de todo País”, concluiu.

Durante o aguardo do transporte das doses, a reportagem do Campo Grande News não verificou a presença de viaturas da Polícia Federal para a escolta, como de costume.

Para o motorista de Pedro Gomes, Sandro Rogério Obregon, 43 anos, a situação não foi pior do que o último atraso. Primeiro a chegar na fila de carregamento das doses distribuídas no interior, ele aguardava as vacinas após uma viagem de 300 km, que começou às 2h.

Primeiro da fila na espera para transporte das doses para o interior, motorista de Pedro Gomes. (Foto: Henrique Kawaminami)
Primeiro da fila na espera para transporte das doses para o interior, motorista de Pedro Gomes. (Foto: Henrique Kawaminami)

“Cheguei aqui por volta das 6h, mas estou no lucro, porque o motorista que veio na sexta-feira (14), chegou lá na cidade à meia-noite de sábado. A vacina que era esperada de manhã, não veio e só chegou à tarde. Ele teve que passar o dia todo esperando aqui na Capital”, relata.

Segundo da fila de transporte, o motorista de Chapadão do Sul, Juarez Júnior, 42 anos, também aguardava os lotes às 6h. “Sai de lá às 3h. Mesmo com atraso, hoje, está tranquilo. Na sexta-feira, eu só consegui pegar a vacina as 18h. Hoje, ainda tenho que esperar os pacientes que vieram de carona com a gente serem atendidos. Minha previsão é sair daqui às 15h", planeja.

Secretário conversa com motoristas para saber tempo de espera dos responsáveis por levar as doses para suas cidades. (Foto: Henrique Kawaminami)
Secretário conversa com motoristas para saber tempo de espera dos responsáveis por levar as doses para suas cidades. (Foto: Henrique Kawaminami)


Nos siga no Google Notícias