A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

30/09/2013 20:04

“Colocaram a faca no nosso pescoço para vender fazendas”, diz produtora rural

Zana Zaidan

A solução proposta pelo governo federal para pôr fim ao conflito agrário em Mato Grosso do Sul não agradou os produtores rurais do Estado. A União optou pela compra de 15 mil hectares da Reserva Indígena Buriti, localizada entre os municípios de Dois Irmãos do Buriti e Sidrolândia, e indenização aos produtores rurais que tiveram as fazendas reivindicadas como áreas indígenas pelos índios Terena.

“Pelo visto não tem outro jeito, vamos ser obrigados a vender. Puseram uma faca no nosso pescoço e, pronto, vamos entregar um trabalho de gerações sem poder fazer nada”, disse a proprietária rural Mônica Correia da Silva, durante reunião realizada na tarde de hoje (30) na sede da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS), para discutir a invasão de terras por indígenas.

A fazenda de Mônica, a Esperança, em Aquidauana, foi invadida no dia 31 de maio por índios Terena e, segundo a proprietária, o TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) já ordenou a reintegração de posse, mas os indígenas continuam na propriedade. “Minha família tem o título de posse desde 1873. É um trabalho de gerações e, desde que os índios chegaram, está sendo destruído. Não podemos mais trabalhar e tivemos que demitir os funcionários, está tudo parado”, lamenta a produtora.

Demora - O produtor rural Ricardo Bacha, dono da fazenda Buriti, que foi palco do conflito depois que um indígena morreu e outro foi baleado durante a reintegração de posse da terra, obteve prioridade na lista de indenizações da União, mas até agora não recebeu nada e também aponta deficiências no trabalho do governo federal. “Essa pressão para o produtor vender foi precipatada. O grupo que foi designado para fazer o levantamento na Reserva é lento e não vai dar conta de realizar o trabalho. Se a solução apontada foi indenizar, que o governo faça bem feito”, disse o produtor.

Indenizações – 31 produtores rurais com terras na Reserva Buriti serão comprados pela União por um valor estimado em R$ 150 milhões. O preço do hectare bruto será negociado por R$ 6,6 mil e, com a soma das benfeitorias, deve chegar a R$ 10 mil por hectare.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...


O Governo Federal fica mantendo uma agendas de reuniões em um simulacro de enorme atividade e negociação quando na verdade não pretende resolver nem permitir que se faça a justiça. Neste momento INDIOS e PRODUTORES rurais se encontram em lados opostos do campo onde quem manipula os peões no tabuleiro é o GOVERNO FEDERAL totalmente RESPONSÁVEL pelo que possa ocorrer nos campos do Brasil. E com faca no pescoço ou não, como disse o Dr Newley iremos se necessário recorrer a Tribunais Internacionais, porque se o Governo de Dilma não quer um Brasil Democrático com Justiça ativa, NÓS, Produtores Rurais, ainda somos BRASILEIROS e não vamos entregar nosso País de bandeja para outros.
 
Miriam Correa em 03/10/2013 08:45:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions