A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

05/06/2013 17:19

"Estamos de queixo caído", diz advogado sobre fim de reintegração

Viviane Oliveira
Índios na fazenda Buriti, em Sidrolândia. (Foto: Cléber Gellio)Índios na fazenda Buriti, em Sidrolândia. (Foto: Cléber Gellio)

“A decisão demonstra um descompromisso com a solução do conflito”. A frase é de Newley Amarilla, advogado do fazendeiro Ricardo Bacha, se referindo à decisão da Justiça Federal que suspendeu a reintegração de posse na fazenda Buriti, em Sidrolândia. 

A suspensão foi decidida pelo juiz da 1ª Vara Federal, Jânio Roberto dos Santos, depois de nova solicitação para impedir a retirada de família da etnia terena que tinham prazo até hoje para sair da área.

“Estamos de queixo caído. É estarrecedor receber do judiciário um tratamento de tal qualidade’, diz Newley, acrescentando que a decisão judicial que alega evitar conflito, ao contrário disso, conflita com uma decisão anterior, que dizia que era para ser feita a reintegração de posse.

A assessoria do Ministério da Justiça disse que houve acordo para suspender a reintegração por conta do clima tenso entre fazendeiros e índios. Conforme o órgão, o acerto foi mediado pela AGU (Advocacia Geral da União). 

O advogado explica que a AGU apenas pediu a suspensão da multa e pediu a alteração no prazo da reintegração, mas a Justiça foi além. “Estamos decepcionados”, afirma.

Segundo Newley, o juiz extrapolou quando deu a decisão favorável aos índios, na opinião dele "infeliz". "Está terra já foi comprovada que não é área indígena”, finaliza. O advogado falou em nome do fazendeiro Ricardo Bacha que não quer comentar o assunto.

Os índios comemoraram a suspensão da decisão judicial e reforçaram que estavam dispostos a continuar na fazenda apesar do prazo para desocupação ter vencido na manhã de hoje.

Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...


A maioria dos que comentaram acima: Vocês se enganam fortemente ao dizer que a decisão do juiz afronta a Constituição, pois o direito dos povos indígenas às suas terras tradicionais é anterior a qualquer direito, pela mesma Constituição, inclusive que ao direito de propriedade. Constitucionalmente, o juiz agiu direitinho. Vão estudar antes de dizer asneiras. Em segundo ponto, a todos os que acham que o Brasil está sem comando, tem vergonha de ser brasileiro, e outros chavões idiotas que circulam na mente de desinformados e tolos: se mudem pra Noruega, vão embora, não ajudam a fazer o país melhor mesmo. Tchau!!!
 
Mauro Leno em 06/06/2013 14:36:48
Dr. Newley, tenho acompanhado pela imprensa o caso da Fazenda Buriti, e lhe confesso que tbm estou de queixo caído diante do destempero das autoridades na solução do caso. Estão passando por cima da Constituição (art.5º XXII), que garante o direito de propriedade. Lamentavelmente esse governo que aí está, me faz aos poucos perder o entusiasmo, lembrando dàquele Brasil de Monteiro Lobato. O povo vive cego, e não vê que aos poucos o governo brasileiro arrasta o país rumo aos regimes totalitários de Hugo Chaves, Fidel etc. O Brasil já foi melhor de se viver, estamos ficando sem norte, só Deus pode nos socorrer. Que tragédia!!!
 
ademir gomes em 06/06/2013 07:53:52
Absurdo, porem não me causa estranheza, conhecendo um pouco o cenário politico desse pais, as leis já não são mais respeitadas....
 
daniela dias em 06/06/2013 00:51:47
Por causa deste tipo de atitude, onde a "justiça" age de acordo com a conveniencia deste governo federal cuja capacidade para resolver conflitos ja mostrou não ter, fico cada dia mais assustado, desanimado e envergonhado, até na justiça não posso mais acreditar.
 
Carlos Alberto em 05/06/2013 21:53:20
Minha solidariedade ao Srº Ricardo Bacha, produtor rural. O interessante é que agora os ativistas comunistas vão exigir o cumprimento da decisão judicial. Uma tragédia; definitivamente o Brasil está no caminho errado. Fazer o que, né? Bolsa-tudo consegue voto....e o país....esse não importa.
 
João Ribeiro em 05/06/2013 20:15:45
Graças a Deus e aos seres divinos da corte celestial, que ainda existe neste mundo pessoas iluminadas e abençoadas. A decisão tomada por este Juiz foi divina...Quantas pessoas: mulheres, crianças, idosos.... pobres seres.....poderiam estar morrendo neste momento com o massacre que com certeza aconteceria....
 
MARIA CELESTE LEMES CORREA em 05/06/2013 20:08:18
Não é só o nobre advogado que está de "queixo caído". O judiciário se rendeu diante de indivíduos -índios-, que com ameaça e violência impuseram suas vontades. É lamentável, se não vergonhoso, tal atitude.
 
Paulo Sordi em 05/06/2013 19:28:46
Brasil, terra de ninguém!
 
Caio Andrade em 05/06/2013 19:08:03
Quem esta de queixo caido sou eu, de ver tanta Policia super armados para matar os inocentes Indios, desarmados, desamparados e sem onde recorrer para pedir ajuda em defesas daqueles que tomaram as suas terras
 
Ari Ferreira em 05/06/2013 18:14:14
O que irá acontecer agora se esses índios que entraram a força na fazenda a retomarem, é exatamente oque existia antigamente, cada fazenda terá 8 famílias de capatazes armados ou mais, para que quando houver principio de uma invasão, a mesma seja contida brutalmente com a morte desses índios, porque pacificamente o produtor correrá risco de perder algo que ele ou seus ancestrais batalharam para adquirir. Não achem que os produtores donos da terra vão deixar barato esta situação, mesmo que o governo pague a desapropriação da terra, com certeza não é pelo valor venal, logo o produtor não deixará chegar a tal ponto. Ou se o governo pagar estas áreas da região de sidrolândia a 2irmaos do buriti por baixo R$18000,00/hec eles querem 17mil hectares? façam as contas!!!
 
Rafael dos Santos em 05/06/2013 18:02:58
MS está na seguinte situação: se eu fosse investidor e tivesse que montar uma indústria no Estado pensaria mil vezes, e colocaria MS como último da fila. Não há segurança jurídica, a Funai pode decidir qualquer coisa em qualquer região do Estado. Tô fora.
 
Jorge Souza em 05/06/2013 17:54:28
isso prova que nosso país esta sem comando.
uma decisao dessas é o no minimo ridicula, o lula nao teve coragem de resolver o problema, empurrou pra dilma e agora age nos bastidores...uma vergonha. pede pra ele pegar as fazendas do seu filho e entregar aos ìndios.
aqui no município de cel sapucaia desapropiaram a fazenda nhu'guassú de propiedade do grupo tagros e fizeram um aldeiao, onde hoje os ndios encontram'se abandonados e em situaçao de miséria.
da vergonha de ser brasileiro
 
antonio carlos da rocha em 05/06/2013 17:45:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions