A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

21/02/2010 14:29

Amigos e parentes pedem justiça por morte de adolescente

Redação

Amigos e parentes de Paulo Henrique Rodrigues, o Paulinho, além de moradores do bairro Tarumã, na Capital, manifestaram na tarde deste domingo a indignação diante da violência que fez do adolescente mais uma vítima na quarta-feira passada, em Campo Grande.

Centenas de pessoas acompanharam a passeata, que começou na Rua Acaia esquina com a Rua Itaoca, seguindo até a Rua Fa Norte, chegando na Avenida Marinha e retornando pela Avenida Marechal Deodoro. Vestidos com camisetas estampando a foto do garoto, munidos de faixas e cartazes clamavam por Justiça e ao mesmo tempo entoavam o apelido do jovem.

Segundo a mãe do garoto, Maria Aparecida dos Santos, é preciso Justiça para que outras mães não sofram como ela está sofrendo, pois ressalta que se os acusados forem soltos vão voltar a matar novamente. "Quero que eles paguem e não saiam da cadeia", explica.

Ela conta que o filho estava trabalhando na bicicletaria quando foi atingido com um tiro nas costas e morreu. Mãe de outros três filhos, ela lembra que o sonho de Paulinho era quitar as últimas quatro parcelas da motocicleta Biz. "Minha vontade é olhar na cara dos assassinos e falar que eles vão pagar pelo crime, pois meu filho morreu injustamente", desabafa.

A namorada do jovem, Andressa Anderson Lopes, 14 anos, que também acompanhou a passeata disse que espera por Justiça e que eles permaneçam presos por um longo período e paguem pela violência. A jovem conta que ele planejava abrir uma bicicletaria no bairro, assim que concluísse os estudos, pretendia casar e ter filhos. Eles estudavam o segundo ano do ensino médio, na escola bem em frente ao local onde foi assassinado.

Crime - Durante assalto a um mercado do bairro Tarumã, o adolescente de 17 anos foi baleado e morreu na hora, com tiro certeiro no coração. Os dois responsáveis pelo assassinato já foram presos, mas isso não acabou com o sofrimento da família que resolveu protestar e pedir segurança.

A comunidade se concentrou em frente à mercearia Vidal, mesmo ponto onde o rapaz foi morto. Os parentes resolveram organizar a manifestação também na tentativa de evitar que os acusados fiquem impunes.

Marcelo de Souza Ribeiro, 19 anos, o "Cicatriz", foi preso um dia depois do assassinato e disse que atirou para evitar perseguição após o assalto ao mercado Vidal.

Policiais chegaram até ele a partir da prisão de Alessandro da Anunciação, 27 anos, o "Testa", capturado no Jardim das Perdizes.

Anunciação é o dono da pistola calibre 45, que foi usada no crime e era foragido da CPA (Colônia Penal Agrícola). Ele acumula antecedentes criminais por homicídio, roubo, receptação e estelionato.

(Com informações do jornalista Gilmar Hernandes, do site www.ghmproducoes.com)

Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions