A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

21/07/2011 17:19

Após polêmica, Famasul quer mudar nome do Instituto SOS Pantanal

Fabiano Arruda
Produtores e integrantes da ONG se reuniram ontem no Pantanal. (Foto: Divulgação)Produtores e integrantes da ONG se reuniram ontem no Pantanal. (Foto: Divulgação)

Sob alegação de que o Pantanal não pede socorro, a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) quer que o Instituto SOS Pantanal mude seu nome. Além disso, a entidade cobra que o conselho da organização não-governamental inclua representantes de entidades e produtores pantaneiros em seu conselho.

As reivindicações foram feitas em reunião realizada ontem na sede da fazenda e pousada Baia das Pedras, região pantaneira da Nhecolândia, entre representantes da Famasul, o presidente da organização, empresário Roberto Klabin, equipe da Expedição Pantanal e produtores da região.

A reunião foi liderada pelo presidente da Comissão da Pecuária de Corte da entidade, José Lemos Monteiro, o Zeito, que é candidato à presidência da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul).

Segundo informações da Famasul, o encontro foi motivado pelo descontentamento dos proprietários da região com o desenrolar e a repercussão da expedição, já que, no início da semana, a Folha de São Paulo publicou matéria de jornalista que acompanhou a abertura dos trabalhos da expedição, publicação que enfatizava que o Pantanal tem 17% de sua área desmatada e que “sofre com as ameaças de fora”.

“O pantanal tem 87% de sua cobertura original, ou seja, é o bioma mais preservado do País, e isso graças à presença do homem pantaneiro”, critica Zeito.

“Movimentos que trazem benefícios são bem-vindos, mas uma Ong com esse nome já nos deixa com o pé atrás, como se o Pantanal estivesse em risco”, dispara o presidente da União dos Pantaneiros da Nhecolândia (Unipan), André Coelho Lima Hofke.

Ainda conforme a Famasul, o presidente da organização se mostrou aberto às sugestões. “Queremos conhecer mais a fundo as peculiaridades do Pantanal para melhor representar este ambiente”, assinalou o empresário, dono da Pousada Caiman, propriedade que abriga o projeto Arara Azul, voltado para a preservação da espécie.

Sobre a acusação de que o instituto queria propaganda com a expedição para angariar investimentos, Klabin afirma financeiramente o projeto, junto com outros patrocinadores da iniciativa privada. “Não tem dinheiro internacional aqui. E queremos que ela (a expedição) seja uma conjunção de interesses para capitalizar o que temos de mais precioso”, sustentou.

Entrevero - A polêmica entre ruralistas e a Ong começou nesta semana depois do presidente licenciado da Acrissul, Francisco Maia, iniciar as reclamações sobre os procedimentos da expedição.

Para ele, a iniciativa tinha caráter midiático e que ONGs costumam atuar desta forma interessados em receber recursos internacionais. Também sinalizou que a expedição divulgaria somente aspectos negativos da presença humana no Pantanal.

Em resposta, por meio de nota, o instituto rebateu as críticas afirmou que o Projeto Expedição Pantanal, lançado no dia 10 deste mês, não busca propaganda do instituto nem uma agenda negativa do Pantanal.

Segundo o órgão, o projeto é “sério”, começou a ser elaborado em 2009, e irá mapear, por meio de nove rotas desenhadas, iniciativas voltadas à sustentabilidade na região da Bacia do Alto Paraguai para conhecer práticas ambientais, sociais e econômicas.

“O projeto não visa realizar uma avaliação ou auditoria socioambiental das atividades do Pantanal e sim uma identificação de processos sustentáveis que vêm contribuindo para a qualificação do desenvolvimento do Pantanal ao longo de sua história”, diz um trecho da nota.

Instituto rebate Acrissul e diz que expedição não quer propaganda
Em nota divulgada nesta quarta-feira, o Instituto SOS Pantantal rebateu as críticas feitas pela Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do ...
Acrissul alerta sobre nova ONG no Pantanal de Mato Grosso do Sul
A Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) faz um alerta sobre a ONG “SOS Pantanal”, que iniciou uma caminhada pela região a fim de ...
Termina na 4ª feira prazo para adotar cartinha e ajudar Papai Noel dos Correios
Termina na próxima quarta-feira (dia 13) o prazo para quem quiser adotar uma cartinha do projeto Papai Noel dos Correios. Os interessados devem compa...


Os proprietários rurais do Pantanal (os que sempre choram) reclamam do acesso, que é dever do poder público, mas sempre acusam as ONGs. Ao mesmo tempo, continuam com suas HILUX financiadas por seus gerentes bancários. Quando aparece alguma iniciativa louvável como esta, reclamam - por não terem criatividade e poder de associativismo - para executarem algo semelhante, que ao final, só irá ajudar a eles... Ou até mesmo por falta de gestão adequada de suas próprias entidades. Faltam consciência, respeito e humildade! Enquanto isso, acusam iniciativas louváveis e não fazem nada, só reclamam.
 
José SIlva em 28/07/2011 12:33:02
Mais uma entidade "salvadora" do Pantanal. Com recursos abundantes para mais "pesquisas". e o pantaneiro a míngua do desenvolvimento. Ao invés das Toyotas Hilux deveria andar de Bandeirantes e verificar principalmente como é o acesso dos pantaneiros as propriedades rurais. O pantaneiro faz parte do bioma pantanal, aliás é o grande responsável por sua conservação, uma pena que tais entidades que "sempre" ousam aparecer por lá se esquecem disso.
 
Otávio Lacerda em 26/07/2011 07:48:18
O fazendeiros estão com medo do quê? as noticias que o povo tem conhecimento são o assoreamento do taquari,a caça de animais organizada por fazendeira da região do pantanal,pesca predatória em rios pantaneiros,desmatamentos em áreas de preservação permanentes,captura de aves silvestres etc. Para esta situação o nome SOS PANTANAL está perfeito e se por acaso esta ong fizer denuncias , estará contribuindo e muito com o meio ambiente."QUEM NÃO DEVE NÃO TEME".
 
Nilson franco de oliveira em 22/07/2011 11:35:28
Como e de conhecimento apresentamos programa que passa em varias cidades brasileiras e o tema e sempre Defesa do Produtor.O programa que esta no ar trata sobre a expedicao SOS Pantanal.Nossa preocupacao e que durante a discussao do codigo florestal imagens e documentos elaborados podem prejudicar a votacao de tema tao relevante para os pantaneiros e precionar contra pecuaria pantaneira,que no nosso entendimento ajuda a preservacao de importante bioma.Mais uma vez o sr Zeito chega atrasado.Seja benvindo.Aproveitamos a oportunidade e comunicamos que convidamos a expedicao para expor seus propositos aos pantaneiros na acrissul.a hora e data sera marcada pela expedicao.Assista o programa no AGROMIX CANAL 36 NET.
 
Chico Maia em 22/07/2011 11:25:18
Concordo com o Sr. Egon....por outro lado, o Pantanal pede socorro sim ! Basta acompanhar o nivel de assoreamento que acomete os rios que alimentam e regulam a estação das cheias, provocado pelo desmando relacionado a pastagens mal feitas, agricultura irresponsavel, lixo e esgoto urbanos....como se mudar o nome da instituição modificasse a realidade....coitado do Pantanal.

Acho até que poderiamos mudar o nome para"help me, socorro, piedade e cia ltda "
 
Geraldo M. Tomas em 22/07/2011 11:02:19
Confio e entendo louvável a iniciativa do Instituto SOS Pantanal, de promover a Expedição Pantanal, destinada a identificar e divulgar as boas práticas de produção, compatíveis com a conservação do bioma. As entidades que representam os produtores rurais, antes de atacar, incompreensivelmente, a iniciativa, fariam melhor, a meu ver, se apoiassem o projeto, porquanto poderá contribuir para o desenvolvimento sustentável do Pantanal. Apontar imaginários dedos de organizações internacionais, além de cheirar à xenofobia, em nada contribui, a meu juízo, para o enfrentamento das ameaças que pairam sobre o futuro deste extraordinário ecossistema.
Vamos somar esforços em defesa do Pantanal! Não faz sentido dispersar chumbo, atirando para dentro do quartel.
Egon Krakhecke
 
Egon Krakhecke em 22/07/2011 08:54:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions