A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

04/06/2010 13:35

Atropelamento reflete problema no trânsito do Centro

Redação

Após o atropelamento do pedestre Antônio Luiz Riscaldi Oviedo, de 28 anos, ocorrido às 12h15 de hoje na avenida Afonso Pena, quase esquina com a rua 14 de Julho, no Centro de Campo Grande, motoristas e comerciantes reclamam do hábito da população em atravessar fora da faixa de pedestres, entre os veículos.

As críticas são feitas apesar de o Código de Trânsito Brasileiro permitir que o pedestre atravesse fora da faixa de segurança caso ela esteja a mais de 50m de distância, como ocorreu no acidente de hoje. Além disso, independente do pedestre infringir alguma norma, ele deve ser priorizado no trânsito.

Contudo, apesar de permitido, o procedimento não deixa de ser arriscado para quem está a pé.

"Ele atravessou entre os carros. Eu estava devagar, mas ele entrou correndo e não deu tempo nem de frear", justifica o piloto de avião de 25 anos que prefere não ser identificado. Ele conduzia o Honda Civic, de placas HTJ-2101, que atropelou Oviedo.

A vítima trabalhava em uma fazenda e estava na Capital com um amigo para fazer compras. Ele foi atropelado a cerca de 100 metros de distância da faixa de pedestres.

Na frente do Civic é possível ver o impacto da colisão. A lateral esquerda do veículo ficou amassada, e o vidro do painel quebrado.

De acordo com o motorista, ele atravessou do canteiro central da Afonso Pena para o lado direito da avenida, no sentido centro-shopping. As duas faixas da esquerda estavam paradas, por conta do sinal fechado, mas na direita não havia veículos e era por essa que o Civic passava. "Não tem como a gente ver", reclama o motorista.

Outros comerciantes próximos do local do acidente confirmam que a vítima passou "entre os carros". Enquanto a equipe do Campo Grande News estava no local, vários pedestres repetiram o procedimento arriscado de atravessar em meio aos veículos.

"Isso aí acontece demais, idoso, adolescente, sempre tem gente atravessando fora da faixa", confirma o empresário Alessandro Pereira dos Santos, de 35 anos. Ele conta que logo após ouvir o barulho do acidente, ocorrido quase em frente a uma de suas lojas, saiu e chegou a ver o pedestre subir cerca de 4m depois de colidir com o carro.

"Quando caiu, ele já estava sangrando pela boca, ouvido e nariz", detalha. Segundo informado Santa Casa, para onde o pedestre foi levado após o acidente, ele permanece na emergência, entubado e em estado grave.

A Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito) esteve no local e o veículo, que possui seguro, foi removido pelo proprietário com um guincho.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...
Inscrições para o Vestibular 2018 da UFMS seguem abertas
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions