A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

05/11/2013 19:31

Bernal nega veto de R$ 18 mi para Santa Casa e afirma que vai procurar Teslenco

Zana Zaidan e Bruno Chaves
Bernal negou portas fechadas à Santa Casa, na presença do novo secretário de Governo, Pedro Chaves (Foto: Marcos Ermínio)Bernal negou "portas fechadas" à Santa Casa, na presença do novo secretário de Governo, Pedro Chaves (Foto: Marcos Ermínio)

O prefeito Alcides Bernal (PP) negou na tarde hoje (5) que tenha vetado o socorro de R$ 18 milhões que o Ministério da Saúde anunciou para os hospitais filantrópicos do Brasil, inclusive a Santa Casa de Campo Grande.

O presidente do hospital, Wilson Teslenco, afirmou na última sexta-feira (1), em coletiva de imprensa, que a prefeitura negou dar o aval necessário para a liberação do dinheiro.

“Isso é uma inverdade. O Teslenco precisa parar de procurar a imprensa e procurar a prefeitura”, rebateu o prefeito. Na coletiva, Teslenco reforçou as inúmeras tentativas de conversa com Bernal, mas, segundo ele, o prefeito o recebeu em uma única ocasião e a conversa foi “superficial”.

Com isso, o prefeito garantiu, ainda, que vai tomar a iniciativa e promover o encontro com Teslenco. Questionado sobre a data, Bernal limitou-se a reafirmar “Vou chamá-lo”.

“A prefeitura nunca se negou ajudar a Santa Casa, e não vai ter uma primeira vez. Repassamos todo mês R$ 14 milhões para o hospital, o que for preciso fazer para defender a Santa Casa, vamos fazer, mas dentro dos critérios estabelecidos”, resumiu o prefeito.

O repasse mencionado por Bernal é referente à verba federal. O Ministério da Saúde repassa para prefeitura R$ 14,2 milhões e, como gestora plena, libera o montante, referente aos atendimentos do SUS.

A instituição alega precisar do aval da prefeitura para que a verba mensal aumente em R$ 1,5 milhão, ou R$ 18 milhões ao ano. O aumento possibilitaria, daqui para frente, o pagamento de impostos que atualmente não são pagos porque, segundo Teslenco, não há caixa suficiente.

Hoje, o hospital deve R$ 45 milhões em tributos federais. Não ter dívidas com o governo federal é um dos requisitos para a assinatura de convênio com o ProSUS, programa que, entre outras coisas, permitiria o perdão da dívida da Santa Casa.

UFMS divulga edital do vestibular para ingresso em cursos de graduação
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) divulgou, nesta segunda-feira (18), edital do processo seletivo do vestibular para ingresso em cu...
IFMS oferece 200 vagas para cursos técnicos e inscrições findam em janeiro
Interessados em realizar cursos técnicos podem participar de seleção no IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul). São oferecidas 200 vagas na m...
Aplicativo enviará à CGU denúncias de agressão e discriminação a pessoas LGBTI+
O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União recebe, a partir de hoje (18), denúncias feitas pelo aplicativo TODXS, relativas à discr...
TSE: regras eleitorais deixam dúvidas sobre fake news e autofinanciamento
O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (18), por unanimidade, as 10 resoluções que irão regular as eleições de 2018, mas ainda ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions