A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

27/10/2015 13:03

Candidato à reeleição busca mandato “puro” e modernização da OAB

Aline dos Santos
Júlio Cesar defende gestão participativa e com voz para advogados. (Foto: Fernando Ientzsch)Júlio Cesar defende gestão participativa e com voz para advogados. (Foto: Fernando Ientzsch)

Candidato à reeleição, o presidente da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil), Júlio Cesar Souza Rodrigues, tem campanha sustentada por 64 propostas, com enfoque na modernização da entidade, defesas das prerrogativas dos advogados, além de manter a tradição da Ordem de atuar em questões que afetem à sociedade.

Em visita ao Campo Grande News, na manhã desta terça-feira, Júlio Cesar apresentou números da primeira gestão, iniciada em janeiro de 2013, e explicou o motivo de ser o primeiro presidente a tentar reeleição após o mandato ser ampliado para três anos.

“Primeiro, diante dos inúmeros pedido da advocacia para que nós pudéssemos dar continuidade a esse projeto iniciado em 2013. E também porque nós não tivemos um mandato puro. Fomos prejudicados em quase um ano de mandato. Queremos ter um mandato puro para que possa ter tranquilidade e desenvolver as metas de trabalho”, afirma o candidato.

No ano passado, dirigentes renunciaram e pediram que a OAB nacional intervisse na entidade no Estado. O Conselho Federal da Ordem manteve Júlio Cesar no cargo. No mandato, ele afirma que foram realizadas 1.375 ações.

Tempos modernos – Na campanha, os temas modernidade e gestão preenchem boa parte do discurso do candidato. “Em termo de governança, nós temos que evoluir. Na OAB, estamos implantando o processo eletrônico. Na questão administrativa, temos que reduzir o número de funcionários para diminuir a folha de pagamento, que é altíssima. Tudo isso chama-se gestão”, afirma Júlio Cesar. Segundo ele, outro fator prioritário é que a gestão seja participativa, com voz para os advogados.

Sociedade – O candidato afirma que a entidade deve manter o papel de proteger o cidadão, mas salienta que ela tem limitações jurídicas. “Não são em todas as demandas que o Supremo e o STJ [Superior Tribunal de Justiça) autorizam o ingresso da Ordem”, diz.

Sobre questões regionais, ele relata que uma comissão da OAB recebeu documentos sobre o Aquário do Pantanal e fará análise técnica nos segmentos ambiental e defesa do patrimônio público. Um dos desdobramentos possíveis é que a Ordem solicite ingresso como assistente em ação civil pública do Ministério Público.

Júlio César visitou o Campo Grande News acompanhado por Cláudio Guimarães (candidato a vice-presidente), Gustawo Tolentino (candidato à secretário-geral), Carlos Magno Couto (conselheiro federal) e Evani Cristiane Pereira Dias de Menezes (conselheira estadual).

A eleição da OAB tem seis candidatos que disputam o comando de uma entidade com orçamento de R$ 11 milhões e referência política.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions